SAÚDE PÚBLICA

SP-01) "RETROSPECTIVA EPIDEMIOLÓGICA DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBÉ EM 16 ANOS DE PROGRAMA."

GARBELINI, Marcia Leandro; RIBEIRO DE SOUZA, Rosani A.A .

Até o ano de 1983, os serviços odontológicos realizados em nosso município, ainda não tinham como prioridade a ação educativa e preventiva diante do quadro epidemiológico de cárie dentária. A partir desta data e após levantamento das necessidades odontológicas do município de Cambé foram desenvolvidos programas específicos.

O objetivo dos programas foi o de poder levar aos escolares, no ano de 1983, benefícios em relação à saúde bucal, já que na época, a situação era realmente alarmante.

A partir de então, os programas foram incrementados e adaptados à realidade do município, com atendimento de crianças a partir do nascimento pois as necessidades acumuladas nos pré-escolares eram muito elevadas.

Todos os levantamentos epidemiológicos realizados durante estes anos foram feitos de acordo com a metodologia definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os resultados de nosso trabalho ao longo desses anos foram realmente animadores, basta dizer que no levantamento realizado em 1983 o índice de dentes cariados, perdidos e obturados (CPO-D) na faixa de 12 anos era de 8,0 dentes cariados por criança e que em 1996 este índice foi reduzido para 2,4 dentes cariados por criança para a mesma faixa etária.

Em novembro de 1996, todos esses esforços foram recompensados quando a Secretaria Municipal de Saúde Pública através da Prefeitura Municipal de Cambé, recebeu o título de "Município Amigo da Criança" conferido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU).

SP-02) "UM ESTUDO ECOLÓGICO EM PRIVAÇÃO, DESIGUALDADE SALARIAL, COESÃO SOCIAL E CARIES DENTAIS EM ESCOLARES DE 6 A 12 ANOS DO DISTRITO FEDERAL BRASIL."

MARCOS PASCOAL PATTUSSI

OBJETIVOS

Investigar as associações entre privação, desigualdade salarial e coesão social; e níveis de caries dentais em escolares residentes no Distrito Federal (DF)

MÉTODOS

Este é um estudo ecológico o qual usa três fontes de dados representativos das 19 Regiões Administrativas (Brasília e cidades-satélite) que compõem o DF: dados baseados em área obtidos de uma pesquisa social em 13.000 famílias, realizada de março a abril de 1997; dados de censos obtidos de estatísticas oficiais do governo do DF de 1995; e; dados de caries dentais obtidos de um levantamento epidermiológico em saúde oral em 7.296 escolares de 6 a 12 anos de idade conduzido de maio a agosto de 1997.

RESULTADOS

Foi encontrado que indicadores de privação não estavam associados com percentagem de crianças livres de caries nem com o CPO-D. Porém, eles estavam fortemente associados com os componentes individuais do índice, exemplo: número médio de dentes cariados (r= 0.7, p<0.001) e numero médio de dentes obturados (r= -0.55, p=<0.05). Desigualdade salarial expressa pelo coeficiente GIM estava significativamente associada com percentagem de crianças livres de cárie (r= -0.57, p<0.01) e CPOD médio (r= 0.59, p<0.01). Finalmente, um dos indicadores de coesão social, número de homicídios a cada 1. 000 pessoas, demonstrou importantes associações inversas com percentagem de crianças livres de cáries (r= -0.54, p< 0.01).

DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

Os achados deste estudo tendem a estar de acordo com a proposta de Richard Wilkinson. Crianças de áreas com altos níveis de desigualdade salarial demonstraram possuir maiores níveis de experiência de caries. Porém, privação é ainda um componente limitante na qualidade de vida das crianças. Áreas mais desfavorecidas tinham um alto número de crianças com caries dentais não tratadas e menor número de dentes obturados. Mais pesquisas são necessárias para suportar a hipótese da desigualdade salarial.

SP-03) "PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL"

KÁTIA PEREIRA MILHOMEM

O nosso programa de saúde bucal foi criado em 1.994. Iniciou-se com um (01) odontólogo e um (01) consultório. Temos hoje nove (09) consultórios e 12 (doze) odontólogos, onde cinco (05) consultórios estão instalados nas escolas municipais, um (01) consultório em uma creche, um (01) consultório móvel, um (01) consultório em um hospital púlblico, e um (01) consultório somente para prótese em um centro de saúde.

Temos como objetivo diminuir o índice de cárie dos escolares e da população em geral; melhorando assim a qualidade de vida dos cidadãos deste município.

Realizamos principalmente um programa de saúde bucal escolar. Neste programa executamos o trabalho preventivo e curativo. O preventivo atinge hoje vinte e oito (28) escolas da rede municipal, onde são feitas palestras educativas, bochechos com flúor e escovação. O curativo é executado nos cinco (05) consultórios implantados nas escolas maiores e no odontomóvel que circula nas escolas menores. Os demais consultórios atendem a população em geral.

Do início do programa até hoje, conseguimos uma redução de aproximadamente 70% do índice de cárie escolar e uma redução considerável do índice de cárie da população e do número de desdentados.

Entendemos a importância da saúde bucal do cidadão, queremos divulgar o nosso trabalho e conscientizar a todos os municípios a necessidade da implantação deste projeto.

SP-04) "PREVENÇÃO EM NOSSAS MÃOS - MOTIVANDO A EQUIPE A PARTICIPAR DO PROCESSO EDUCATIVO."

Laís Borges Rocha; Paula de Carvalho Cardoso

Dentro da realidade atual a educação em saúde bucal é de fundamental importância para os Cirurgiões Dentistas. Sabendo das dificuldades que envolve tais procedimentos educativos apresentamos alternativas para facilitar o educador em saúde a obtenção de material didático. Este trabalho é realizado de forma atraente, por ser feito por uma equipe devidamente motivada onde todos tem o prazer nos resultados por ser fruto de trabalho amoroso, que cumpre os objetivos de uma excelente aprendizagem, sem grande investimento financeiro. O objetivo é proporcionar a todos os profissionais de saúde a experiência do Ver x Fazer = Aprender. A metodologia utilizada foi a confecção de painéis e encarte em cartolina e isopor, modelos bucais em gesso, experiências químicas e demonstrações práticas. São sugestões-orientações para que o Cirurgião Dentista – Educador possa inspirar e adaptar a sua realidade e necessidade. Os resultados de fixação e pós fixação das informações repassadas através dos materiais confeccionados foram satisfatórios. "Prevenção em Nossas Mãos" é uma ferramenta que o "Artista" Cirurgião Dentista maneja de acordo com sua criatividade, sua reflexão e experiência.

SP-05) "PERDA AUDITIVA INDUZIDA PELO RUÍDO OCUPACIONAL"

ROSÂNGELA DEL ANHOL AZEVEDO

RESUMO:

No Brasil, vêm se intensificando os cuidados com a audição de trabalhadores em ambientes com produção excessiva de ruído. Essa preocupação ganha forma de legislação específica e desencadeia os programas preventivos como a existência de registros audiométricos seqüenciais como parte do PCA (Programa de Conservação Auditiva), permitindo que se observe o comportamento auditivo (Lavinsky et al 993).

Na atualidade, o ruído é um dos principais agentes de poluição, podendo desencadear e mesmo acelerar vários distúrbios como hipertensão arterial, estresse, aumento da tensão muscular e incapacidade para concentração. ( Fernandes & Farah 1993) . O ruído ambiental, no congresso mundial sobre poluição sonora foi tratado como questão de saúde pública definido como um som indesejável que pode ter características variáveis tais como ser contínuo ou de impacto; ter predomínio de freqüência agudas; variar em nível de pressão sonora durante a jornada laboral. Consequentemente, a lesão das células sensitivas cocleares apresenta nuanças de variações ( Almeida 1991). Os efeitos no desempenho funcional do indivíduo fazem com que o ruído seja extensivamente mais lesivo ,devido a reações psicogênicas do corpo humano contra um agente que provoca sua disfunção, as alterações biológicas voltam-se contra o próprio indivíduo ( Kwitko 1994) . O resultado final da agressão será uma disacusia neurossensorial bilateral evidenciada pelo traçado audiométrico (Almeida 1991). A exposição crônica ao ruído destrói as células sensoriais do órgão de corti, produzindo uma deterioração auditiva lenta, progressiva e irreversível, com característica de disacusia sensorio-neural ( Seligman & Ibanez 1993).

A perda auditiva induzida pelo ruído é uma das causas mais comuns de surdez sensorial encontrada na prática clínica ocupacional, vários são os ambientes insalubres que colocam o homem e o ouvido sob risco. Perda auditiva é um sintoma que pode ocorrer como resultado de patologia local no sistema auditivo central ou periférico, ou pode ocorrer como manifestação de alguma doença sistêmica. ( Kwitko 1996).

Os testes audiológicos contribuem muito para a avaliação da incapacidade laborativa e social causada pela exposição ao ruído intenso. A audiometria acusa perdas tonais estabelecidas após algum tempo de exposição, mas não é fiel indicador do grau de comprometimento coclear (Costa 1995). É passível de equívocos, mas muitas vezes é decisivo em questões que envolvem uma admissão ou disputas judiciais (Kwitko 1994). Por isso outros testes precisam ser introduzidos (Costa 1995).

A audição tem sido objeto de estudos e investigações os pesquisadores vêm realizando trabalhos visando o desenvolvimento e classificação da PAIR (Costa & CRUZ 1994); fernandes & farah (1993) e Martin & Martin (1995), entre outros, sempre alertando para a prevenção. Fiorini (1994) salienta que existe uma tendência natural em adquirir perda auditiva induzida pelo ruído em indivíduos que apresentam evolução do audiograma de normal para normal com entalhe. Como conseqüência do aumento dos níveis de ruído tanto no trabalho quanto no lazer, o perfil audiométrico das pessoas vem sendo transformado para pior, muito rapidamente (Mariotto et al 1995).

O presente trabalho busca alertar, orientar e prevenir o cirúrgião dentista dos efeitos nocivos do ruído ocupacional a que estão expostos .

SP-06) "VIGILÂNCIA DOS TEORES DE FLÚOR NAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO - RESULTADOS DE CINCO ANOS DO CONTROLE MUNICIPAL"

Kátia T. Cesa

Desde 1994 a SMS assumiu o compromisso de controlar os efetivos teores de flúor adicionados às águas de abastecimento público em Porto Alegre. O resultado obtido, após cinco anos, é uma crescente estabilidade nos teores, bem como a regularidade da medida inserida na rotina das ETAs. A conscientização dos técnicos e operadores é outra grande conquista desta caminhada .

SP-07) "MITOS Y REALIDADES DE LA ODONTOLOGIA (PROGRAMA ESCOLAR : ENCARE PREVENTIVO - EDUCATIVO)"

Dra.Susana Lorenzo, Dra. Liliana Queijo, Maestra Directora Sonia Viera.

RESUMEN :

Nuestro Programa Preventivo - educativo se desarrolla enmarcado en Plan de Estudios de la Facultad de Odontología y está dirigido a escolares de 6 a 12 años fundamentalmente de escuelas públicas de ciertos barrios ( algunas de riesgo social) de Montevideo, capital del país ; también se desarrollan en algunos departamentos del interior del país como Paysandú y Salto.

Trabajamos estudiantes y docentes coordinando con maestros y directores junto con los niños realizando actividades de educación para la salud :talleres preventivo-educativos, aplicación de técnicas preventivas concretas como geles fluorados. Estas actividades constituyen el sustento y la retroalimentación del Programa que cuenta además con actividades asistenciales.

Algunas evaluaciones cuanti y cualitativas resultan alentadoras en cuanto logran generar a partir de una práctica pedagógico-sanitaria cierta cultura de la salud bucal en el ámbito escolar que pretende expandirse y constituir un modelo nacional donde colaboran la Escuela Pública y la Universidad de la República.

SP-08) "A INSERÇÃO DA SAÚDE BUCAL NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) DO PROJETO QUALIS - SP - FUNDAÇÃO ZERBINI."

Adriano L. S. Xavier, Antonio Carlos Frias, Odete P. Scapolan, Grace V. L. C. Rissato, Márcia W. Freitas.

O Programa de Saúde da Família, preconizado com a intenção de reorganizar o modelo assistencial de saúde, está sendo implantado com grande sucesso em algumas regiões de São Paulo através de uma parceria com a fundação E. J. Zerbini, designada gerenciadora do programa, aqui denominado Projeto QUALIS.

Além das equipes de saúde da família - compostas por um médico, uma enfermeira, uma auxiliar de enfermagem e pelo menos quatro agentes comunitárias de saúde - foram incorporadas ao corpo de profissionais, equipes de saúde bucal (CD/THD/ACD) na perspectiva de garantir a atenção integral a saúde das famílias, desenvolvendo ações de promoção em saúde bucal visando reduzir a incidência das doenças bucais e tratar as necessidades acumuladas das famílias cadastradas.

A fim de levantar dados sobre as condições de saúde bucal da população assistida para que se possa ter um planejamento voltado para essa realidade, está em andamento o levantamento epidemiológico que visa descrever a distribuição de cárie dentária, doença periodental, fluorose e uso e necessidade de prótese por todas as faixas etárias.

As unidades de saúde da família contam com instalações de clínicas modulares de três cadeiras, onde os profissionais (CD/THD/ACD) atuam a quatro mãos, garantindo o atendimento preventivo e curativo a todas as idades.

Atividades de capacitação são periodicamente programadas e tem o objetivo de subsidiar os profissionais a refletirem sobre sua prática e o impacto de suas ações na melhoria das condições de saúde bucal da comunidade.

SP-09) "REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA SAÚDE DO ÍNDIO DA ALDEIA ICATU"

SALIBA, N.A ; MOIMAZ, S.A.S**; SALES PERES***, A; BERGAMASCHI, E****; SOUZA, J.E.A*****

Trata-se de estudo desenvolvido pela FOA-UNESP, na aldeia indígena de Icatu, no que tange a obter-se a percepção de saúde da população local. Atualmente esta unidade de ensino, através da Odontologia Social, mantém uma clínica odontológica instalada no referido povoado, capacitada a prestar atendimentos que visão promover a saúde coletiva no que tange aplicação de métodos preventivos em odontologia, existindo uma pré-disposição local de aceitabilidade e extrema confiabilidade, galgada nestes quase treze anos de atendimento.

Interagindo ao projeto contamos com a própria UNESP e a FUNAI, em nosso prisma a junção deste projeto com a participação do alunado de graduação, mestrado e doutorado, integra o real princípio da Universidade dentro de um programa de extensão, aliás uma vocação de nosso departamento desde o primórdio.

A percepção de saúde ou de seu oposto a doença, ou seja, o reconhecimento da falta de saúde, sofre variações de acordo com os padrões culturais. Diferenças em épocas, locais ou mesmo aquelas de camadas sociais, de instrução, ocupação, renda, religião, etc, em uma mesma época e no mesmo local, mostram entendimentos divergentes na percepção do binômio saúde-doença, diríamos até mais do que isso, demonstram também variação na percepção da necessidade de receber uma atenção para auxiliar na solução do eventual problema reconhecido.

Verificamos nitidamente em nossa pesquisa de campo que, a cárie dentária e a doença periodontal estão associadas a condições sociais, econômicas, políticas e educacionais.

SP-10) "PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA E SUA RELAÇÃO COM ASPECTOS SÓCIO-COMPORTAMENTAIS EM CRIANÇAS DE 12 ANOS DE IDADE. FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 1995."

Karen Glazer de Anselmo Peres, José Roberto de Magalhaes Bastos, Maria do Rosário Dias de Oliveira Latorre

INTRODUÇÃO

A partir da constatação da queda nos níveis de cárie dentária, com a conseqüente polarização da doença em determinados grupos populacionais, muito tem se discutido quanto a determinantes envolvidos neste processo.

OBJETIVOS

Comparar características sociais e de comportamento entre dois grupos de prevalência de cárie dentária distintos em crianças de 12 anos de idade: um grupo com alta/muito alta prevalência e outro com muito baixa prevalência de cárie.

METODOLOGIA

Foram obtidas informações acerca do CPO-D de todas as crianças de 12 anos de idade, examinadas por ocasião do levantamento epidemiológico em saúde bucal no município de Florianópolis, SC, Brasil em 1995. Do total de 332 crianças de 12 anos examinadas nas regiões com água fluoretada, dois grupos foram formados: um grupo constituído por 50 crianças com alta/muito alta prevalência de cárie (CPO-D acima de 5,0) e outro com muito baixa prevalência de cárie ou livres de cárie (CPO-D no máximo igual a 1). Elaborou-se um questionário na forma de entrevista estruturada, realizada com os pais dos responsáveis. Fizeram parte da entrevista, questões relacionadas a dados familiares como a relação número de habitantes/ cômodo, número de crianças em um mesmo domicílio e acompanhante da criança no domicílio quando esta não está na escola. Questões sócio-econômicas e comportamentais como: responsável pelo sustento da família, renda familiar, nível de escolaridade do pai e da mãe da criança, freqüência de escovação dentária, freqüência de consumo de produtos cariogênicos, atendimento odontológico nos últimos 12 meses, motivo da consulta odontológica e tipo de serviço odontológico utilizado. Foi utilizada a análise de regressão logística multivariada para os fatores de risco para alta/muito alta prevalência de cárie.

RESULTADOS

Os fatores de risco para alta prevalência de cárie foram: a freqüência de consumo de doces e a renda familiar. Uma criança que consome produtos cariogênicos 2 a 3 vezes ao dia, todos os dias, tem 4,41 vezes mais chances de Ter alta prevalência de cárie quando comparada com uma criança que consome estes produtos no máximo uma vez ao dia (IC (OR) = [1,18; 16,43]. A renda familiar foi o fator sócio- econômico de maior importância neste estudo que, juntamente com o grau de instrução do responsável pela família, são sugestivos de indicação de risco à cárie dentária. Uma criança cuja renda familiar é menor que 5 salários mínimos, te, 4,18 vezes mais chances de apresentar alta preval6encia de cárie quando comparada com uma criança cuja renda familiar é superior a cinco salários mínimos (IC (OR) = [1,16; 15,03].

CONCLUSÕES

O indicador renda familiar, disponível para a totalidade dos municípios, pode ser usado para identificar grupos populacionais de maior risco à cárie dentária, a fim de destinar a estes, ações específicas, respeitando-se assim o princípio de equidade.

SP-11) "ARRASTÃO ODONTOLÓGICO ESCOLAR."

GARBELINI, Marcia Leandro ; CASAROTO, Priscilla Viviana Mamprin

O município de Cambé – Pr. desenvolve desde o ano de 1983, um Programa Odontológico voltado à educação e prevenção, sendo que, a partir de 1987 com a implantação da Clínica de Bebês houveram grandes avanços nesta área.

O objetivo deste Arrastão Odontológico Escolar foi traçar um perfil epidemiológico de todas as crianças de 5, 6 e 7 anos matriculadas na rede de escolas estaduais e municipais da zona urbana deste município em 1999.

Nessas escolas os alunos foram triados através de exame clínico visual com espátula de madeira para afastamento dos tecidos moles da boca e questionados quanto a receber ou não atendimento odontológico no último ano (em Unidade Básica de Saúde, em consultório particular ou outro local), necessidade de atendimento odontológico imediato e higiene bucal.

As crianças que ainda não faziam parte do Programa Odontológico Municipal ou se encontravam em abandono foram encaminhadas para as Unidades de Referência, assim como as que necessitavam de atendimento emergêncial. Nas escolas foram realizados os procedimentos de higiene bucal supervisionada, aplicação de selantes, escavação e repleção em massa.

Os resultados obtidos constituem o objetivo principal da apresentação deste trabalho e demonstraram que os programas odontológicos do município vem obtendo eficácia.

SP-12) "PREVENÇÃO BUCAL NAS CRECHES MUNICIPAIS DE FOZ DO IGUAÇU."

Danielle Molina

INTRODUÇÃO:

A Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu , através do Depto. de Odontologia, procurou estabelecer um Programa de Prevenção Bucal que atingisse crianças de 0 a 6 anos de idade, que freqüentam creches municipais. O Programa é de fácil execução e de baixo custo.Tem excelente aceitação por parte da comunidade e também dos funcionários de creches.Diante disso, podemos dizer que a prática do Programa é viável e eficiente .

OBJETIVOS:

Implementar um Programa de saúde bucal a partir do 1º.ano de vida; Redução dos tratamentos curativos nos Postos de Saúde; Formar agentes multiplicadores de informação; Incorporar a higiene bucal dentro das atividades diárias das crianças; Reduzir o índice de cárie da cidade de Foz do Iguaçu; Melhorar a saúde bucal das crianças que freqüentam creches.

MÉTODOS:

O programa consiste na execução de higiene bucal em crianças de 0 a 6 anos de idade que freqüentam as creches municipais de Foz do Iguaçu. A primeira etapa para a implantação do Programa foi um treinamento direcionado às atendentes de creche, a fim de capacitá-las para a execução de tarefas, tais como correta escovação dentária, manipulação e aplicação do flúor, higiene bucal do bebê, bem como provendo-as de informações relativas aos benefícios que esses cuidados podem proporcionar a essas crianças. Na segunda etapa, todas as creches foram visitadas uma a uma para receberem os kits de higiene bucal, e também para um reforço nas orientações , visando a correta implantação do Programa. Após a implantação, essas creches vem sendo supervisionadas mensalmente por Cirurgiões-Dentistas e THDs da rede. A terceira etapa visa o engajamento dos pais, ampliando o Programa para dentro também de suas casas.

RESULTADOS:

de Agosto/98 a Abril/99, foram atingidas cerca de 2400 crianças, que apresentaram consideráveis melhoras nas suas condições bucais.

CONCLUSÃO:

Cabe a nós, profissionais de saúde, despertar a sociedade para uma Odontologia voltada para a Prevenção, a fim de que esta possa cada vez mais gozar de uma boa saúde bucal, usufruindo uma Odontologia inteligente, criativa de baixo custo e extremamente eficiente.

SP-13) "PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL DO BEBÊ PROJETO: UM SORRISO MUITO ESPECIAL."

Hilda Helena Mancini Sandrini

RESUMO:

Este projeto destina-se ao "Atendimento odontológico nos primeiros anos de vida" da criança portadora de algum tipo de deficiência que o enquadre como paciente especial. Este programa foi colocado em prática no ano de 1995 e hoje é uma realidade atendendo por ano uma média de 1500 pacientes e realizando todo tipo de atendimento odontológico partindo do princípio de que a educação gera a prevenção. Os objetivos deste projeto foi de implementar um programa de saúde bucal atendendo crianças a partir do primeiro ano de vida inserindo-o num contexto de saúde geral que permita prevenir e controlar a cárie e doenças periodontais nessas crianças de 0 a 5 anos de idade. A conscientização dos pais, o atendimento odontológico precoce, o treinamento das equipes de saúde das unidades municipais e a disseminação do conceito de saúde bucal como um direto de cidadania foram os objetivos específicos do projeto. As metas a serem alcançadas são a redução da prevalência de cáries nesta população através de sua prevenção e controle atingindo uma cobertura de 10% no primeiro ano do projeto com aumento gradativo a partir da sua consolidação que servirá também de referência de atendimento de profissionais de outros municípios.

SP-14) "ODONTOLOGIA PARA BEBÊS NAS AÇÕES DA PASTORAL DA CRIANÇA - CNBB"

Dr. Eduardo Carlos de Peixoto Santos

A Pastoral da Criança é uma das maiores ONGs do mundo, dedicada a saúde, nutrição e desenvolvimento da criança. Conta com 108.200 (1) Líderes Comunitários em todo Brasil, que trabalham diretamente com grupos entre 10 a 20 famílias, em sua própria comunidade de acordo com o quadro abaixo:

A Pastoral da Criança empenhada em propiciar desenvolvimento integral e qualidade de vida para crianças desde o seu nascimento, sentiu a necessidade de intervir também na área de Odontologia.

Sendo o tratamento odontológico, na maioria das vezes, eminentemente sintomático e curativo, faz-se necessário torná-lo mais educativo e preventivo, bem como mais precoce, uma vez que sua massificação no serviço odontológico a partir de 6 anos não é solução ideal.

O Programa Odontológico, será incluído nas ações básicas de saúde, nutrição e educação da Pastoral da Criança através de seus Líderes Comunitários, usando a metodologia já existente. Sozinha, a Pastoral da Criança não poderia assumir este Programa. Fez-se necessário a participação de Órgãos Institucionais que permitisse a cobertura e o atendimento à população alvo, a medida que as necessidades curativas fossem surgindo.

Fonte: FABS - Folhas de Acompanhamento e Avaliação das Ações Básicas de Saúde e Educação, que chegaram à Coordenação Nacional em Curitiba até o dia 09 de fevereiro de 1998

(1)Refere-se à soma das criança e gestantes avaliadas nos meses de outubro, novembro e dezembro (4º trimestre/97)

SP-15) "VIGILÂNCIA SANITÁRIA COM ENFOQUE EM CONTROLE DE INFECÇÃO E BIOSSEGURANÇA EM ODONTOLOGIA."

Eduardo Carlos de Peixoto Santos

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná representada pelo DQS - Departamento da Qualidade em Saúde / Serviço de Vigilância Sanitária de Odontologia e com a efetiva atuação das Vigilâncias Sanitárias Municipais, estabeleceu por meio de normas técnicas, padrões que norteam as ações de Vigilância Sanitária e Controle de Infecção, visando desta forma prevenir o risco de agravos a saúde da população, bem como o risco de contaminação dos profissionais da equipe de saúde bucal através da ação de medidas de biossegurança.

As ações de Vigilância Sanitária englobam todos os estabelecimentos prestadores de serviço de saúde bucal (Públicos e Privados) bem como estabelecimentos de ensino de graduação e pós-graduação. Pretende-se com essas medidas a melhoria da qualidade dos serviços ofertados a população.

SP-16) "USUFUL ANATOMY FOR DENTAL IMPLANTS PROCEDURE."

Pr. Faten BEN AMOR

By this presentation, we want to demonstrate that we have to be aware during the dental implants surgery, because of the existance of many precious anatomic "elements".

So lets take a look concerning a review of the maxillar and mandible anatomy.

In the upper jaw, as the great palatine nerve and artery, the sinus floor so near to the creast (after important resorption consecuntly to the loose of teeth in postérior ridge).

In the lower jaw, the mandible channel with alveolar nerves and arteries, the mental ostium…

In fact, the implant surgeon must know all details about various anatomy of nerves and arteries to determine the direction and sizes of implants placements .

The implants surgeon has to visualize exactly the anatomical constraints, that's why we demonstrate some of our studies to give more details about various anatomy of the real position of nerves and arteries.

Many three dimensional bone models, will be showed and discussed. We make windows on bones to continue forward show.

We compare real anatomy to radioanatomy, then we compare our studies to bibliography review.

In conclusion, many considerations must be given to this inderligne anatomy of the mandible and maxillar to ovoïd irreversible damages.

SP-17) "SCHOOL ORAL HEALTH SURVEY IN NABEUL (TUNISIA)"

MAATOUK Fethi *, GHEDIRA Hichem, ARGOUBI Kamel, JMOUR Badia, ABID Abdellatif

Abstract :

In 1994 a third national oral health survey in school has been conducted by the ministry of Health (TUN/ORH/001). This transversal describing survey which has concerned 1802 school children 6,12 and 15 years old revealed that:

dental caries prevalence was respectively 57%, 48 % and 58 % in 6, 12 and 15 year.

DMF was about 1.3 in 12 years and 2.01 in 15 years with very low F component.

44 % of children aged 12 have calculus and 60 % in 15.

AIM: The aim of this oral health survey which has been conducted in NABEUL (tunisian northeastern area) was to assess the dental health status in school children and notably to verify if dental fluorosis prevalence had really increased in NABEUL as shown by the national survey findings.

METHODOLOGY:

Dental Health was assessed among 600 school children (12-15 year) randomly selected according to the WHO methodology. Fluoride concentration in drinking water was analysed.

RESULTS:

The results showed that 28.0% of the pupils presented dental caries and 65.0 % were concerned by periodontal problem (bleeding or calculus). Dental fluorosis was evaluated at 19%.

CONCLUSION:

The analysis, done with WHO assistance, clearly reflected that school children in NABEUL had lower dental caries and fluorosis prevalence and higher malocclusion prevalence than national mean.

So WHO recommendations made after the national survey remain valid in NABEUL.

SP-18) "DENTAL FLUOROSIS IN TUNISIA"

Hichem.GHEDIRA, Fethi .MAATOUK, Kamel ARGOUBI, Sonia GHEDIRA

ABSTRACT

Since 1996 when WHO stated that water fluoridation is an effective and safe measure for partial control of dental caries this method has been of present interest in most countries.

But in TUNISIA where high and mean levels of natural fluoride can be found in drinking water, dental fluorosis is endemic. 300 school children, 12 years aged, from KAIROUAN ( an inland area in Tunisia ) are examined, to study dental fluorosis and its consequence on caries prevalence. 174 children presented dental fluorosis (58% ).

In spite of this, our study revealed a relatively important dental caries prevalence. This fact is surely related to a low level of dental hygiene. For the improvement of dental health in Tunisia other measures must than be used.

SP-19) "PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA PARA PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA MENTAL"

Miguel Anfe

Programa de Assistência Odontológica para Pessoas Portadoras de Deficiência Mental que é desenvolvido pelo Departamento de Saúde de São João da Boa Vista - SP., que tem demonstrado excelentes resultados.

SP-20) "SAÚDE BUCAL NÃO TEM IDADE. UMA ESTRATÉGIA DE TRABALHO INTEGRADO NO ESTADO DO PARANÁ."

Kriger, L. *; Amarante, L.M.**; Jitomirski, F.**; Santos, E.P.**; Machado, Z.C.**; Merci, D.J **

Durante muitos anos o trabalho da Odontologia em Saúde Pública concentrou-se na atenção exclusiva ao escolar, priorizando totalmente suas ações para a faixa etária dos 6 aos 12 anos.

Com o avanço do conhecimento científico, principalmente em relação a etiologia das doenças bucais e a sua possibilidade de controle ao longo do tempo, a idéia de ampliar o espectro de atenção em saúde bucal ganhou espaço e passou a ser trabalhada com maior intensidade.

Buscando trabalhar de forma integrada com outros setores da Saúde Coletiva, a Secretaria do Estado da Saúde do Paraná incluiu entre os seus 21 projetos estratégicos, no período de 1999 a 2002, o "Saúde Bucal não tem idade.

O objetivo do projeto é o de trabalhar com a promoção e a manutenção da saúde bucal em todas as idades, com atenção precoce ao bebê, passando pelo pré-escolar, o escolar e chegando ao idoso, sem esquecer as ações para os pacientes especiais. O matriciamento com as outras áreas da saúde também é bastante enfatizado.

SP-21) "20 ANOS DE SERVIÇO ODONTOLÓGICO NO DEPARTAMENTO DE SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI MIRIM"

Drª Clarice Rodrigues Chabregas e equipe

INTRODUÇÃO:

O Departamento de Saúde da Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, iniciou o atendimento odontológico em 1978 com uma cirurgiã dentista que atendia em trailer a população da zona rural e dos bairros.

A população só procurava o serviço em casos de dor. À medida que a secção de odontologia foi se estruturando, houve um esforço no sentido de se implantar programas de prevenção da cárie e saúde bucal nas Unidades Básicas de Saúde e programa coletivo nos estabelecimentos de ensino. Essas ações associadas á fluoretação das águas de abastecimento, á conscientização da população e aumento de equipe, demonstram através dos levantamentos epidemiológicos realizados que o município já alcançou índice de cárie inferior ao preconizado pela OMS para o ano 2.000 e também o menor da região.

OBJETIVOS:

O presente trabalho tem como objetivo relatar como a equipe conseguiu superar as dificuldades encontradas para compor e estruturar a secção de odontologia no Departamento de Saúde. Quais as ações desenvolvidas no município. Apresentar dados epidemiológicos obtidos em levantamentos realizados em 1984, 1987, 1991 e 1997.

METODOLOGIA:

Levantamento de dados que compõem a história da odontologia no Departamento de Saúde do Município.

RESULTADOS:

Índice CPO-D; ênfase em prevenção na assistência, espaços sociais com Programas coletivos; cobertura dos PCs; ênfase em ações coletivas em Saúde Bucal; Priorização de Saúde Bucal na assistência ambulatorial; aumento da população " zero cárie".

CONCLUSÃO:

Através de ações coordenadas e direcionadas para o coletivo é possível se obter resultados satisfatório.

SP-22) "LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS"

Cleomar Minervini de Aquino, Débora Rodrigues Campos e Sonia Maria Paul Reich.

O presente trabalho foi realizado para obtermos uma situação da doença cárie nas crianças que frequentam às creches do Município de São José dos Pinhais na faixa etária de 03 a 06 anos onde o levantamento epidemiológico, através do ceo-d nos revelou a atual realidade.

Visando atingir esta faixa etária citada anteriormente, através de métodos e técnicas de educação e prevenção contidas em programas aplicados no município resolvemos constatar sua eficácia.

Foram realizados exames bucais nos pátios das creches, com abaixadores de língua e procedido as anotações com o auxílio de uma Técnica de Higiene Dental. Anteriormente os pacientes assistiram slides sobre a importância de hábitos de higiene e noções de escovação.

Através deste índice (ceo-d) obtivemos dados significativos para atuarmos de forma maciça nas crianças de alto risco à cárie e continuarmos com o programa preventivo e curativo, bem como orientação aos pais e funcionários das creches deste município. Como o trabalho encontra-se em desenvolvimento, os demais tópicos serão fornecidos com a exposição do mesmo.

SP-23) "PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS DAS CRECHES MUNICIPAIS DO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPODO"

Irene Fanny Ritzel, Danilo Dieter

RESUMO:

Este trabalho iniciado no ano de 1998 com continuidade em 1999 visa elaborar um plano e programa de promoção de saúde bucal para crianças de 3 meses à 6 anos de idade das creches municipais de São Leopoldo. A motivação inicia a partir da administradoras das creches, tentando com isto mobilizá–las para que ocorra mudança. A proposta é manter as cavidades bucais destas crianças com saúde, isto é manter um equilíbrio individual de cada ser, avaliando- se para tanto a realidade da situação oral (gengivas, dentes e mucosas) dentro de um contexto social personalizado. São executados exames de diagnóstico precoce de lesões cancerígenas orais. Além deste, executa-se exames dentais com luz natural, aplicações tópicas de flúor – dose única ou de ataque, respeitando da atividade de cárie de cada paciente - tamponamentos de lesões cariosas cavitadas e o encaminhamento para tratamento curativo nas unidades de saúde da rede municipal de São Leopoldo, quando necessário. Para avaliar a necessidade de aplicação tópica de flúor em dose única ( uma dose a cada 6 meses ) ou dose de ataque (uma dose semanal durante um mês – com intervalo de 6 meses) é considerado o risco ou atividade da doença cárie, observando-se os seguintes itens: lesão cariosa de mancha branca, cavidade cariosa, gengivite estabelecida, erupção dos segundos molares decíduos e primeiros molares permanentes, hábitos perniciosos e dificuldade de higienização oral. A coleta de dados é realizada através de planilha para controle, registrando nesta, achados odontológicos que possam servir para futuras pesquisas. Resultados podem ser identificados por comparação entre tabulações do ano de 1998 e 1999, e já pode–se afirmar uma melhora quanto a higiene bucal.

SP-24) "ODONTOLOGIA "EDUCAR PARA PROMOVER MUDANÇAS"

Elisabete Kasper

INTRODUÇÃO:

A atenção em saúde bucal numa perspectiva mais geral de estruturação, implica "implementação de ações" que incluem as de assistência odontológica individual e as de alcance coletivo, desenvolvidas dentro e for a do setor saúde.

OBJETIVOS:

Criar condições para que o modelo de assistência represente de fato uma reformulação na assistência à saúde, onde ações de caráter preventivo, objetivando a promoção de saúde, sejam preponderantes sobre os serviços assistenciais.

METODOLOGIA:

Ações técnico administrativas; Ações de parcerias; Treinamento de equipes multi-profissionais.

RESULTADOS:

Padronização e modernização dos equipamentos odontológicos da rede municipal; Padronização do atendimento; Redução do custo de manutenção;

Realização da 1º Semana de Saúde Bucal.

CONCLUSÃO:

Divulgação dos serviços odontológicos do município; Conscientizar a comunidade da importância de prevenção; Atendimento de aproximadamente 19.500 pessoas nos Postos de Atendimento; Atendimento de aproximadamente 9000 alunos da rede escolar na atividade da 1º Semana de Saúde Bucal.

SP-25) "MUNICÍPIO DE UBATUBA EM 1989 BUSCA ALTERNATIVAS PARA DIMINUIR A CÁRIE E BAIXAR O CUSTO"

MARIA DA GRAÇA GIL MATTOS E APARECIDA GODOI BUENO

Além das priorizações políticas, a Saúde Bucal sofre com sua complexidade, quanto aos equipamentos; materiais de consumo; recursos humanos, enfim alto custo. Devido a estes impasses desde 1989 o Serviço vem desenvolvendo o Programa Educação e Prevenção da Saúde do Escolar para diminuir a cárie e baixar custos.

Houve sensibilização das autoridades e a Integração das Secretarias Municipais de Saúde, Educação e Esportes.

O Programa abrange todas as EMEIs, Escolares do Ensino Fundamental; Reserva dos Índios Guaranis; Creches; Lar do Menor; Pais e Professores.

A Equipe formada por: Dentistas; Técnicos de Higiene Dental; Atendentes de Consultório Dentário e Recreacionistas realizam: Palestras enfocando noções básicas de Saúde Bucal e Nutrição; Demonstração da Técnica de Escovação Dentária (Macro Modelos) e Fluorterapia - sendo tudo reforçado pelas recreacionistas com o Teatro de Fantoches através da dramatização.

Com os levantamentos Epidemiológicos da cárie obtivemos os seguintes resultados: CPO-D aos 12 anos: 1989 = 5,92; 1994 = 4,70; 1998 = 3,66.

Com estes resultados positivos concluímos a Eficácia do Programa e garantimos sua sobrevivência às mudanças administrativas.

SP-26) "NEOPLASIAS BUCAIS - ASPECTOS CLÍNICOS E PATOLÓGICOS APLICADOS À SAÚDE PÚBLICA"

Dr. André Luís Simões; Drª. Fanny Jitomirski; Dr. Joacir Pereira

Diante do preocupante quadro epidemiológico do câncer de boca no Brasil torna-se cada vez mais necessária a atuação do dentista generalista, em especial os sediados em serviços públicos, no sentido de prevenir e tratar essa patologia, na amplitude de sua capacitação. Isto igualmente se aplica a outras entidades patológicas ditas benignas mas que no entanto podem produzir significativos danos biológicos, quando diagnosticadas tardiamente.

Objetivamos com esta apresentação, comentar alguns importantes aspectos quanto à gênese e epidemiologia do câncer de boca, bem como as principais técnicas e princípios de diagnóstico e tratamento de Neoplasias bucais, passíveis de utilização no âmbito do serviço público elementar. Isto se dará pela apresentação de casos clínicos selecionados junto ao - "Serviço de Referência em Neoplasias Bucais do Município de Doutor Ulisses - PR" - dentre os quais destacamos um caso de Carcinoma Mucoepidermóide, não diagnosticado, que sofreu diversas tentativas de "drenagem" em serviços públicos num período de 8 anos de evolução.

As estatísticas relativas ao tema e o relato dos pacientes, que procuram os serviços de referência com doença em estágios avançados de desenvolvimento, demostram a pouca familiaridade, e interesse, dos profissionais do atendimento básico no que tange ao manejo destas patologias, visando o estabelecimento de um diagnóstico precoce.

Esta situação, em grande parte decorrente de anos de desinformação e de uma concepção estritamente "dentária" do paciente, deve ser arduamente combatida para que as estatísticas de morte, decorrentes de câncer de boca, possam decrescer até níveis aceitáveis.

SP-27) "PROGRAMA CANGURU"

Ana Cristina B. Silveira / Elaine B. A. Santos

Descrição do Problema:

Através dos programas de Saúde Bucal instalados no município de Itapecerica da Serra, pôde-se concluir que tínhamos dois grupos populacionais carentes de atendimento preventivo: Gestantes e Crianças de 0 a 4 anos. Esses grupo não eram enquadrados em atendimentos curativos (exceto em caso de urgências) e tão pouco em programas preventivos.

Objetivos:

Conscientizar pais e crianças da importância da manutenção de uma boa higiene e saúde bucal; estimular à mudança de hábitos alimentares, de higiene oral e pessoal, promovendo uma reeducação dos mesmos, através de novos conhecimentos adquiridos; obter a melhoria do estado de saúde bucal da criança e da gestante, e promover a amamentação e os cuidados durante a gravidez; auxiliar na captação da gestante para o pré-natal e com isso reduzir a mortalidade neonatal; auxiliar na captação o bebê para o esquema vacinal.

Metodologia:

Programa preventivo realizado mensalmente nas UBS’s, com toda a integração da equipe de saúde, direcionado às gestantes e agendamento do bebê no módulo odontológico, acompanhando o calendário de vacinação ou seja, 01 mês, 02 meses, 04 meses, 06 meses, 09 meses e 15 meses para controle e orientação dos pais (hábitos, higiene, amamentação).

São fornecidas oportunidades de aprendizado aos participantes usando várias técnicas a fim de envolvê-los e sensibilizá-los em relação aos assuntos em pauta.

Estimular o aprendizado através da problematização é mais eficaz e menos cansativo para o grupo, pois há maior participação e interesse, evitando um aprendizado monótono e ineficaz (Aprendizado de forma ativa – feed – back – grupo – instrutor – grupo). Podem ser através de: debates, práticas de duplas, dinâmicas, simulação de papéis, etc..

Conclusão:

Sendo o aprendizado e a mudança de hábitos, processos graduais e que requerem paciência, vontade e seriedade, os resultados irão depender do empenho de todas as partes envolvidas, seja da população, seja dos profissionais de saúde. Os grupos são fixos, então, podemos observar que ele se torna coeso e integrado. Há também troca de experiências entre as gestantes, criando esse vínculo o qual incentiva a participação na continuidade do processo.

SP-28) "ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES EPIDEMIOLÓGICAS CONTIDAS NO SERVIÇO DE ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO A PACIENTES PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL E SÍNDROME DE DOWN"

Lázara Dirli Gomes da Silva / Rosangela de Campos Cordeiro / Terezita de Fátima Fernandes

INTRODUÇÃO:

Este trabalho propõe a análise das informações epidemiológicas obtidas a partir de pesquisa feita em 413 fichas clínicas odontológicas de pacientes atendidos no Núcleo Odontológico para Pacientes com Necessidades Especiais "Washington Franco do Couto", Belo Horizonte, nos anos de 1993 a 1998, de portadores da Paralisia Cerebral e Síndrome de Down.

OBJETIVOS:

Verificar possibilidade de se estabelecer o CPOD a partir de dados secundários.

Caracterizar a clientela quanto à procedência, idade, sexo, necessidade de tratamento, perfil epidemiológico, tratamentos concluídos, retornos e encaminhamentos para anestesia geral.

METODOLOGIA:

Utilizou-se dados retirados das fichas clínicas preenchidas pelos cirurgiões-dentistas quando do atendimento, ao longo dos anos de 1993 a 1998.

RESULTADOS:

Do total de 413 fichas pesquisadas, 201 concluíram tratamento, 35 foram encaminhados para anestesia geral, 118 retornaram para revisão; os pacientes são de Belo Horizonte, Contagem e interior do estado, sendo a maioria procedente de Belo Horizonte; o perfil epidemiológico e a demanda foram caracterizados (vide análise de gráficos e tabelas).

CONCLUSÃO:

É importante o registro de dados na ficha clínica de maneira padronizada e sistematizada, para que se possa, posteriormente, através dela, delimitar o perfil do atendimento odontológico ofertado.

SP-29) "PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS DE 6 A 36 MESES DE IDADE E SUAS RELAÇÕES COM VARIÁVEIS SOCIOCULTURAIS, FLORESTÓPOLIS – PR"

CHIARATTO, Rosieli Alves; THOMSON, Zuleika; MORITA, Maria Celeste.

RESUMO:

O estudo, de delineamento transversal, foi desenvolvido em 359 crianças de 6 a 36 meses de idade, residentes na zona urbana do município de Florestópolis, Paraná, Brasil. Os dados foram coletados em visitas domiciliares a todos os residentes do município na faixa etária estudada. O diagnóstico de cárie foi realizado através de exame clínico, sob luz natural, por três examinadores previamente calibrados (0,96). As informações relativas às variáveis socioculturais (condições sócio econômicas, escolaridade do pai e da mãe, pessoa responsável pelos cuidados com a criança, situação da criança na prole, tipo de aleitamento, hábitos alimentares e métodos de prevenção da cárie dentária), foram obtidas através de questionário aplicado ao responsável pela criança, com o objetivo de analisar as relações com o aparecimento ou desenvolvimento da cárie dentária. A prevalência de cárie encontrada foi de 26,2% para crianças de 12-23 meses de idade e 51,6% aos 24-36 meses. A doença demonstrou uma tendência de aumento com o evoluir da idade. A pesquisa mostrou associação positiva estatisticamente significante para a escolaridade do pai (p = 0,005) e da mãe (p = 0,14) na faixa etária de 12 a 23 meses de idade, e uma associação negativa, (p = 0,038), da relação higiene bucal/cárie dentária na mesma faixa etária. As demais variáveis não apresentaram diferenças estatisticamente significativas. O estudo evidencia a necessidade de atenção odontológica precoce para prevenção de doenças bucais e a importância de que o estímulo ao aleitamento materno exclusivo seja intensificado na comunidade estudada.

SP-30) "PROGRAMA DE SAÚDE ORAL DO MUNICÍPIO DE HULHA NEGRA"

Nóris dos Santos Paiva

Justificativa:

Hulha Negra emancipou-se do Município de Bagé - RS em 24 de março de 1993 e, decidiu desenvolver um projeto de saúde oral envolvendo duas secretarias, de saúde e de educação para atingir toda população escolar da rede municipal. Levando como objetivo básico educar para prevenir.

Metodologia:

O Cirurgião Dentista participa a cada inicio do ano letivo da reunião geral dos professores orientando sobre o projeto e estimulando-os a participarem das ações de saúde. Nos meses de março e outubro o CD visita as 8 escolas municipais (inclusive do interior) conversando com os alunos através de macro modelos, teatro de fantoches, filmes educativos e brincadeiras; tentando levar ao aluno nas diversas faixas etárias (desde pré-escola a 8ª série do 1º grau) o conhecimento das causas e soluções das doenças da cavidade oral. Nesta mesma visita o CD realiza o exame clínico em cada aluno. Nos demais meses realiza a parte curativa segundo as necessidades e urgências encontradas no exame clínico; este tratamento é realizado em uma unidade na sede do município só para execução deste projeto e para onde os alunos das diversas localidades são encaminhados por veículo reservado para esta função. E a rede de professores realiza a escovação orientada diária após a merenda escolar e os bochechos de flúor semanal, além de usar durante todo ano letivo orientações sobre hábitos de higiene incluindo-os no currículo das diversas disciplinas. Na unidade de atendimento os bochechos de flúor não sofrem interrupção nas férias escolares.

Conclusão:

O projeto iniciou em março de 1994 com 512 alunos, 110 restaurações, 1113 cáries, 226 dentes perdidos; em março de 1999 em 453 alunos encontramos: 298 restaurações, 200 cáries, 54 dentes perdidos. Cada aluno tem um mapa da sua presença aos bochechos de flúor para que se possa avaliar a eficácia do mesmo na prevenção da cárie dentária. Estamos estendendo este projeto para as escolas estaduais, para que sejam beneficiados todos os escolares do município.

SP-31) "PROGRAMA BOCA FELIZ"

EUGÊNIO RICARDO ZALESKI, MARIA APARECIDA GRASSO, MARIA INÊS DA SILVA

INTRODUÇÃO:

A partir de 1997 através de debates entre Cirurgiões Dentistas e análise de levantamento de CPOD chegamos a conclusão que nesses anos apesar de trabalharmos com afinco na parte curativa, não conseguimos controlar o índice de cárie e placa bacteriana em crianças da rede pública (de 1a a 4a série). A partir daí implantamos um programa que abrangesse Odontologia: Educativa – Preventiva e Curativa.

OBJETIVO:

Melhora da saúde bucal: diminuição de gengivite, placa bacteriana e do indíce CPOD.

METODOLOGIA:

Levantamento CPO em crianças da rede pública (1a a 4a Série). No início do tratamento as crianças recebem o 1o kit (escova, creme, fio dental). Inicia-se então a odontologia Curativa – Educativa e Preventiva. A cada 3 meses a criança volta para revisão. É feito novo levantamento CPO, não apresentando cárie a criança recebe novo kit. Paralelamente a esta trabalho, os professores integrantes do programa, supervisionam a escovação diária das crianças de 1a a 4a série e realizam bochecho fluorado semanal.

RESULTADOS:

Conscientização das crianças em relação: escovação, uso de fio dental, controle no consumo de doces. Conscientização da direção da escola em relação: controle de doces na cantina das escolas; e conscientização dos pais em relação à saúde bucal de seus filhos. CPOD zero, num período de dois anos, nas crianças que entraram no programa.

CONCLUSÃO:

Com esse programa pretende-se acompanhar a criança até a idade em que ela esteja conscientizada da importância de sua saúde bucal e apta a realizar com eficiência e eficácia sua higiene oral.

SP-32) "PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA IDOSOS EM PIRACICABA"

Gustavo Lucchesi Rodrigues

O programa de saúde bucal para idosos de Piracicaba tem como objetivo a implementação de tratamento e controle das enfermidades bucais associados à prevenção e educação para à saúde. A partir de um levantamento epidemiológico realizado em Piracicaba, no início de 1999, em idosos de 65 anos e mais, verificou-se a grande quantidade de problemas envolvendo a saúde bucal daquela faixa da população. Assim, inicialmente será realizado um programa piloto, restrito as instalações do C.E.O (Centro de Especialidades Odontológicas). Na primeira fase será enfatizado o saber popular desta população a ser atendida, nas palestras e orientações individuais; haverá o cadastramento e exame do prontuário médico; exame clínico e anamneses, bem como a erradicação de focos bucais infecciosos, profilaxias profissionais; treinamento à higienizarão, acompanhamento pós-operatório, polimento e alguns reparos protéticos simples. Na segunda fase do programa haverá a remoção de cálculo sub e supra gengival; dentística restauradora, e endodontia, além de confecção de próteses unitárias, parciais e/ou totais. Para viabilizar a confecção de próteses estará sendo firmado um convênio com a Escola de Prótese de Piracicaba. A terceira fase do programa caracteriza-se pela manutenção e acompanhamento dos idosos que já passaram pelo menos uma vez pelo programa. Será também a fase de avaliação final do piloto após um ano de programa. Enfatiza-se para a obtenção de bons resultados destes programas, que devam ser observados alguns pontos importantes tais como a informação de que idosos normalmente não procuram postos de atendimento por não saberem que este tipo de atendimento existe, e/ou dificuldade de locomoção, daí a necessidade de uma boa divulgação do programa e infra-estrutura adequada.

SP-33) "O CAMINHO DA ODONTOLOGIA EM PALMAS"

Kênia Carvalho Pauzer e Regiane Rezende

Introdução:

Palmas (Tocantins): população heterogênea em franco crescimento, permitindo a reformulação de antigos paradigmas, promovendo transformação social.

Necessidade de conhecer dados epidemiológicos em relação a saúde bucal.

Objetivo:

Realizar ações com base nos dados encontrados.

Desmonopolizar os conhecimentos sobre Saúde Bucal.

Metodologia:

Levantamento epidemiológico de cárie dentária nos escolares de 1.ª a 4.ª série .

Seleção e capacitação dos agentes de saúde da escola.

Desenvolvimento das ações educativas, preventivas e curativas com base nos dados epidemiológicos obtidos, supervisionando pelo cirurgião dentista articulador da área.

Resultados:

Reconhecimento das ações, dificuldades e limitações da educação enquanto co-responsável pela promoção da saúde; e da saúde enquanto co-responsável pela educação.

Fundamento das ações, através do levantamento epidemiológico.

Redirecionamento das ações do Cirurgião Dentista como articulador da área de abrangência.

Conclusão:

Desinstitucionalização do indivíduo e seu reconhecimento como membro e fruto das relações sociais desenvolvidas na comunidade.

SP-34) "ODONTOLOGIA EM IBIPORÃ – A BUSCA DE UM IDEAL."

Edna Camargo Carvalho Pinto; Fernanda Gomes Milanez Garboza; Leilaine Aparecida Furlaneto Rodrigues; Luciene Regina Santana Andreatti; Satílio Kasai

Teresa Senoo Kakuno

Introdução:

A Prefeitura do Município de Ibiporã visa abranger as necessidades dos seus 42.000 habitantes através dos serviços prestados por suas Secretarias e Autarquias. O SAMAE é uma Autarquia Municipal de grande importância nesta integração entre os serviços prestados à comunidade, pois oferece ao Município 100% de água tratada e fluoretada e 95% do sistema de esgoto tratado.

Objetivo:

Oferecer à população um atendimento de forma abrangente e eficaz, através da atenção preventiva, curativa, emergencial e reabilitadora.

Metodologia:

A população infanto-juvenil tem seu atendimento realizado pela Bebê-Clínica, Odontopediatria e Plano Incremental (ainda em atividade neste Município).

A população adulta é atendida nas Unidades Básicas de Saúde através do atendimento de Livre Demanda e de Programas Específicos para Gestantes, Terceira Idade e Prótese Dental para Carentes.

Conclusão:

O Setor de Odontologia tem buscado promover Programas que atendam todas as faixas etárias, dos Bebês à Terceira Idade.

Espera-se que com os trabalhos desenvolvidos e juntamente com a integração de outros serviços, possamos contribuir para a melhoria da Saúde da população com consequente melhora na sua qualidade de vida.

SP-35) "CRIANÇA-SORRISO – PROGRAMA INTEGRAL DE SAÚDE BUCAL"

Lucimar Souza de Mello Teixeira

Introdução:

O Programa Criança-Sorriso constitui-se num conjunto de ações que expressa uma mudança na concepção e organização da saúde bucal, prestados à população. Amplia o espaço de atuação do serviço odontológico, descentraliza o conhecimento e a responsabilidade, no sentido do restabelecimento e manutenção da saúde bucal. Trabalha os elementos básicos que constituem o modelo odontológico integral, que são o educativo, preventivo e recuperador de forma a equacionar o conjunto de ações qualificando as condições de saúde. (Objetivos) O núcleo prioritário de sua ação são as crianças de 6 à 12 anos de idade matriculadas nas escolas municipais e estaduais do município de Concórdia-SC, e busca reduzir os índices epidemiológicos e questionar as práticas tradicionais que historicamente demonstram-se ineficientes. (Metodologia) As atividades educativas são desenvolvidas através de palestras com noções básicas de saúde bucal, fitas de vídeo, slides, teatro de fantoches, distribuição de panfletos e cartilhas educativas; atividades preventivas através de escovação diária na escola, bochecho semanal com solução fluoretada à 0,2%, revelação de placa bacteriana e escovação supervisionada bimestralmente, aplicação de selante em fóssulas e fissuras, aplicação tópica de flúor; atividades recuperadoras realizadas nos postos de saúde próximos da escola, ou nas unidades móveis. (Resultados) Redução do índice CPO-D de 4,62 para 2,70 na área urbana e de 6,84 para 4,57 na área rural, em 2 anos de atuação do programa. (Conclusão) Observa-se ainda considerável melhora na higiene bucal das crianças e assimilação da importância da manutenção da saúde bucal, comprovando a necessidade de educar e informar os indivíduos visando a transformação da sociedade no sentido da valorização da saúde bucal.

SP-36)  "PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CÂNCER BUCAL DE MINAS GERAIS."

Berenice Navarro Antoniazzi / Arnaldo de Almeida Garrocho / Telma Advíncula Osório

RESUMO:

No Brasil, 80% dos canceres de boca que chegam aos centros de tratamento, estão em fase avançada e, por isso a mortalidade é altíssima.

Quando ainda podem ser tratados, são de custo elevado, demorados, mutilantes e com sofrimento, onerando a família, o Estado e todo o país.

Em Minas Gerais, através de pesquisa na rede do SUS, foram criados centros de referências regionalizados, normatizando o encaminhamento dos pacientes dos 853 municípios mineiros, em tempo hábil para diagnóstico precoce e tratamento.

OBJETIVOS:

Descentralizar os atendimentos para os centros de referências mais próximos à residência dos pacientes.

Diminuir o tempo de encaminhamento entre a suspeita e o tratamento, intervindo nas fases mais precoces da patologia.

METADOLOGIA:

Pesquisa nas instituições e serviços do Estado, para a criação dos centros de referências para diagnóstico, tratamento e reabilitação.

Estas referências são apresentadas no "Manual de Prevenção, Suspeita, Diagnóstico, Tratamento e Reabilitação do Câncer Bucal". Edição 1.

RESULTADOS:

Foram criados no Estado: 24 centros de referência de diagnóstico, 08 centros de referência de tratamento e 03 centros de referência de reabilitação.

CONCLUSÃO:

A descentralização dos serviços propiciou o atendimento do paciente próximo à sua residência, ganhando um tempo precioso para prevenir e curar.consequente melhora na sua qualidade de vida.

SP-37) "PREVENÇÃO COM ARTE"

José Paulo Torrezan; Josimar Pereira da Silva

Descrição do Problema: Ausência de motivação das crianças em se manter hábitos que favoreçam a saúde bucal.

Objetivos:

Efetivar a mudança real de hábitos, incorporando aspectos preventivos em relação à cárie e outras doenças bucais no seu dia a dia, além de incentivar a criatividade das crianças.

Objetiva também a inserção da equipe de saúde bucal junto ao meio escolar, melhorando o relacionamento aluno-professor-profissionais da saúde, tornando as ações coletivas mais estimulantes.

Metodologia:

Realização de concursos entre equipes formadas por alunos de escolas públicas de 1º grau, sob o tema "Prevenção em Saúde Bucal". Foram apresentados trabalhos em forma de arte. Houve premiação por equipe e individual.

Conforme orientação, cada equipe desenvolveu um trabalho relacionado à arte: música, cartaz, peça de teatro, dança, jogral, escultura, etc..

A equipe de saúde bucal acompanhou os trabalhos prestando assessoria técnica sobre os assuntos desenvolvidos.

Após ensaios, os trabalhos foram apresentados para a comunidade escolar e para os integrantes das equipes de saúde bucal em três etapas: local, regional e final.

A comissão julgadora, avaliou a criatividade, conteúdo e participação relacionados a cada trabalho apresentado. Houve cobertura da imprensa local.

Conclusão:

O desempenho dos alunos foi além do esperado pela própria equipe odontológica. A criatividade surpreendeu a todos. Nesse modelo de ação educativa, o aprendiz é ativo no processo e a equipe de saúde bucal deixa de ser a "fonte do saber". Com isso, há integração entre os jovens, entre os jovens e seus educadores e entre os profissionais da área da educação com os da saúde.

Cabe salientar ainda que essa forma de aprender: dinâmica, estimulante e interativa facilita a fixação do conhecimento e estimula as mudanças de hábitos.

SP-38) "PROJETO CÁRIE ZERO"

Sylvio Gevaerd / Mario Capriglione / Lise M. Villani Souza / Denise B. L. Bittencourt / Cynthia A. Laporte

Introdução:

Com a implantação do projeto carie zero , busca-se somar os esforços entre os setores públicos e privado, associativo e educacional, buscando na integração intersetorial potencializar ações e otimizar o modelo de atenção odontológica que está em construção na cidade de Curitiba .

Objetivo:

Desenvolver na cidade de Curitiba um modelo de atenção em Saúde Bucal fundamenta nos conceito de controle da doenças e manutenção de saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população.

Metodologia:

Rede Cárie Zero; Organização do Sistema de Atenção em Saúde Bucal; Programa de Educação Continuada á Comunidade; Programa de Atenção e Educação ao Paciente Especial.

Resultados:

1.215 Cirurgiões Dentista inscritos na Rede Cárie Zero; Implantação de 05 Clínicas Cárie Zero; 70.000 pessoas abordadas no Programa de Educação; Instalação de uma Clínica de referência e um Centro Cirúrgico Odontológico ao paciente especial. Capacitação de 250 profissionais da odontologia e 64 representantes das instituições que trabalham com pacientes especiais.

Conclusão:

A cidade de Curitiba contribuiu um modelo de prestação de serviço de gestação através do sistema Municipal de saúde que tem tido papel relevante no controle epidemiológico de muitas doenças. Dentre esta a cárie dental apresentado consistente redução nas últimas décadas.

CPOD - 12 anos 1981 - 10,1 / 1997 - 1,81

SP-39) "PROJETO SOPREV - SAÚDE ORAL PREVENTIVA"

Silma Assunção de Melo Lopes

A boca, juntamente com os outros aparelhos do organismo, é parte fundamental na saúde do indivíduo como um todo. Infelizmente por um bom tempo este conceito não era completamente praticado pelo dentista ou mesmo pelo médico. No entanto, mais recentemente, a odontologia que se apoiava basicamente nos princípios curativos tem dado maior atenção às medidas de prevenção. É baseado nisto tudo que, em 1996, em Delfinópolis-MG, surgiu a idéia de se criar um projeto de odontologia preventiva, então denominado de SOPREV, voltado para cárie, doença gengival e câncer bucal.

O objetivo principal do projeto é de promover e manter a saúde bucal na população de Delfinópolis.

Realizou-se exame clínico nas crianças e se classificou-as em grupos de risco: alto, médio e baixo risco, para poder fazer bochechos fluorados de acordo com a necessidade de cada uma delas. Quanto ao grupo de prevenção do câncer bucal, também realizou-se exame clínico, aonde, através de perguntas dirigidas, pôde-se colher dados e realizar os procedimentos necessários, como pequenas cirurgias e biópsias.

A maioria das crianças evoluiu mudando para uma classe de menor risco de cárie à que se enquadrava. Quanto à prevenção do câncer de boca, pode-se constatar a diversificação patológica encontrada na boca dos pacientes biopsiados, mostrando o quanto é importante a realização do exame anátomo-patológico e que prevenção é fundamental.

Alguns passos já foram dados em direção aos objetivos do SOPREV. E tudo indica que estamos no caminho certo.

SP-40) "ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AOS KAINGANG DA RESERVA INDÍGENA APUCARANINHA."

CYNTIA CRISTINA FIORI

A idéia da realização deste trabalho deu-se por já estarmos atuando há mais de dois anos nesta área integrados a uma equipe multidisciplinar de saúde (médicos, enfermeira, auxiliares de enfermagem, dentista e auxiliar odontológico). O objetivo desta apresentação é demonstrar a atuação da equipe de saúde dentro da Reserva Indígena Apucaraninha.

São vários os levantamentos de incidência de cárie e doença periodontal no Brasil, mas poucas são as informações relativas às áreas indígenas.

Informalmente, o que podemos observar são índices de cárie e doença periodontal altos, ainda que, muito variantes dependendo do grau de contato da população indígena com a população branca circunjacente. Além da falta de dados referentes à condição bucal das populações indígenas, observamos que, historicamente, o atendimento odontológico tem mantido um caráter mutilador, sendo poucas as experiências na área de prevenção, educação em saúde e formação de pessoal auxiliar. No início das atividades, somente os mais velhos eventualmente compareciam à Unidade de Saúde para a realização de exodontia e confecção de prótese. Atualmente, 60% dos atendimentos realizados são em crianças menores de 12 anos e, em muitos casos, realizando procedimentos preventivos. Percebemos uma mudança lenta, porem gradativa do que a comunidade entende como assistência odontológica, a nível de prevenção. O atendimento à gestante e ao bebê já é uma realidade. A única maneira de conseguirmos bons níveis de saúde bucal é através do comprometimento dos profissionais da área com a educação, a prevenção e o respeito às especificidades culturais.

SP-41) "ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA A PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS - RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE TRABAL"

Lásara Dirli Gomes da Silva; Rosangela de Campos Cordeiro

Este trabalho apresenta a experiência do Núcleo Odontológico para Pacientes com Necessidades Especiais "Washington Franco do Couto", Unidade de Serviço Odontológico da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, localizado em Belo Horizonte.

A Unidade se destina a população de pacientes com necessidades especiais dentro de um conceito amplo e abrangente: deficiência mental, física, auditiva e/ou fala, orgânica; distúrbios: neurológicos, psiquiátricos, de comportamento, hematológicos, endócrinos e metabólicos; portadores de alterações congênitas e genéticas, tais, que não os permitam usufruir de programas "rotineiros" de assistência, a nível ambulatorial.

Esta assistência apresenta características próprias, onde a soma de ações que torna possível contornar ou eliminar as dificuldades existentes; em função da delimitação apresentada pela pessoa portadora de deficiência; possibilita a equipe odontológica realizar seu trabalho, a nível ambulatorial.

O presente trabalho objetiva relatar a experiência do atendimento odontológico realizado neste Núcleo, as características de sua estrutura, formas de organização, normas de atendimento, dados de produção e dados colhidos em fichas clínicas, tais como: distribuição por patologia, patologia mais freqüente, sexo e faixa etária predominantes; obtidos dos formulários de registro de informações e extraídos das fichas clínicas odontológicas, médicas e psicológicas.

O Núcleo com uma pequena equipe multidisciplinar, vem realizando procedimentos desde 1993, procedimentos odontológicos de promoção e prevenção de doenças bucais, atividades educativas, com atuação na assistência cirúrgico-restauradora básica.

SP-42) "EXPERIÊNCIA EM CIRURGIA ODONTOLÓGICA NO SERVIÇO MUNICIPAL DE SAÚDE EM LONDRINA."

HILTON HIDEKI HIRABARA; THAÍS ALESSANDRA COLOMERA

Funcionando desde 1980, o Serviço Municipal de Saúde de Londrina possui atualmente 33 clínicas odontológicas, que atendem cerca de 53.456 pacientes, sendo a faixa etária entre 0 e 21 anos, mensalmente há a entrada de aproximadamente 3.000 pacientes novos. Existe também um programa de atendimento às gestantes que fazem acompanhamento médico nos postos de saúde.

Dentro deste panorama e através de uma pesquisa realizada com cirurgiões-dentistas do Serviço Municipal de Saúde de Londrina, 95% dos entrevistados relataram a necessidade de um centro de atendimento cirúrgico-odontológico que facilitasse o encaminhamento e a resolução destes casos. Através destes dados propusemo-nos a desenvolver atendimento nesta área, simulando o funcionamento de um serviço municipal especializado e demonstrando sua viabilidade.

A partir de outubro de 1998, iniciamos o atendimento cirúrgico-odontológico em pacientes encaminhados pelas clínicas odontológicas das UBS. Os casos encontrados com maior frequência foram frenectomia labial, dentes inclusos, raízes residuais, odontomas e lesões de tecidos moles.

Concluimos que, pelo número de casos atendidos existe a necessidade de um serviço especializado nesta área. Através da alta resolutividade alcançada, dentro das condições oferecidas, acreditamos ser viável este atendimento, o que facilitaria o encaminhamento e tratamento destes casos.

SP-43) "EDUCAÇÃO DA FAMÍLIA, O SUPORTE DOS PROCEDIMENTOS COLETIVOS"

Dr. Sebastião Batista Bueno

SITUAÇÃO ATUAL:

Nos levantamentos epidemiológicos observamos que os índices CEO e CPO eram altos, mesmo com os procedimentos coletivos eles persistiam , principalmente na faixa etária dos 06 anos. Também notou-se altos índices de problemas estomatognáticos provocados pela falta de amamentação e hábitos deletérios. Diante do quadro, concluímos que os pais estavam desinformados, portanto colaboravam negativamente, comprometendo nossos resultados.

OBJETIVO:

Educar a família visando a redução de CEO, CPO, problemas respiratórios e ortodônticos através de orientações e estímulos à higiene oral, amamentação e controle das dietas cariogênicas.

METODOLOGIA:

As ações preventivas ocorrem nos postos de saúde, nas pré-consultas pediátricas e ginecológicas. Para tal, utilizamos uma sala, onde montamos o material audiovisual, realizando então, palestras e demonstrações sobre higiene a partir do nascimento do bebê. Ao término, faz-se o cadastramento, a distribuição de escovas, creme dentais, flúor e folders, além de pesquisas e levantamentos epidemiológicos.

CONCLUSÃO:

Este é um programa de baixo custo, de caráter preventivo educacional e de fácil implantação, principalmente em pequenos municípios. Visa a redução dos índices de CEO e CPO e problemas respiratórios e ortodônticos em crianças que ingressam na pré-escola, dando melhor suporte para os procedimentos coletivos.

SP-44) "SERVIÇO ODONTOLÓGICO MUNICIPAL DE PAULÍNIA – SP"

BARDOU, Fernando José; BIANCO, Iara; COSTA, Sandra Camanho; GOMES, Patrícia Rodrigues; OLIVEIRA, Ana Laura Andrade de; OLIVEIRA, Sônia Prado; ROSSATO, Desireé Mory; SÔNEGO JR, Osvaldo; SPINOLA, Luiz Fernando Batistella; VELLOSO, Ana Maria Guiraldello

Introdução:

Paulínia município situado a 118km de São Paulo e com uma população de 47.000 habitantes, até 1973 contava apenas com atendimento odontológico emergencial. Atualmente apresenta vários programas de atenção à saúde bucal, tendo conseguido sensíveis progressos nos indicadores de saúde.

Objetivo:

A apresentação dos diversos programas de saúde bucal do município de Paulínia e seus resultados na promoção de saúde da população, são os objetivos deste trabalho.

Metodologia:

O processo de promoção de saúde bucal foi impulsionado com a fluoretação das águas (1979) e através de convênios com a UNICAMP (1973) e PUCCAMP (1990), nos quais acadêmicos da 4a série da graduação realizam o atendimento aos escolares de 07 a 12 anos, supervisionados por CDs da PMP. A partir de 1992 com a mudança do enfoque assistencial evidenciando-se a promoção de saúde, foram criados programas preventivos para faixas etárias específicas: Gestantes, Mãe-bebês, Bebês (0 à 03 anos), Pré-escolares (03 a 06 anos), Escolares (07 à 12 anos), Adolescente (13 à 19 anos), Adultos e Programas Especiais(Hospital Municipal, APAE, Saúde em Casa), realizados por mini-equipes (CDs, ACDs e THDs).

Resultados:

Como resultados destas iniciativas destacam-se elevados níveis de cobertura da população e progressos nos índices de saúde: CPOD (aos 12 anos) 1984=8,2; 1994=3,0; 1998=1,4; ceo (pré-escolares) 1993=3,07; 1994=2,6; 1997=1,73.

Conclusão:

A instituição de programas preventivos propiciou sensíveis melhorias na saúde da população e uma maior abrangência de atendimento. O intercâmbio com as Universidades e a utilização de pessoal auxiliar, foram preponderantes para os progressos alcançados.

SP-45) "ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO ÀS GESTANTES NO MUNICÍPIO DE LONDRINA"

Domingos Alvanhan; Maria Eliza Sanomya

O objetivo principal do programa consiste na promoção da saúde bucal da gestante e do bebê, através de um processo educativo-preventivo e curativo.

Esse trabalho é realizado nas Unidades Básicas de Saúde do Município através de palestras educativas sobre higiene bucal, mecanismo da cárie dentária, controle da dieta, e o estímulo ao aleitamento materno dentro de uma equipe de saúde multiprofissional. Ao mesmo tempo, o tratamento curativo é realizado para adequação do meio bucal e resolução dos problemas presentes como a cárie dentária e a doença periodontal.

Portanto, as gestantes fazem parte de uma população que necessita ser priorizada em relação ao atendimento odontológico, não só devido ao alto índice de cárie dentária e doença periodontal, como também o alto potencial de aprendizado pertinente à esta fase, inserindo hábitos de comportamento positivo em relação à saúde bucal; visando dessa forma, um padrão de conduta que provavelmente será adotado pelos seus filhos.

SP-46) PARTICIPAÇÃO DO THD NOS SERVIÇOS PÚBLICO E PRIVADO: "ANÁLISE COMPARATIVA DE 10 ANOS DE EXPERIÊNCIA CLÍNICA SIMULTÂNEA".

Equipe Multiprofissional de Odontologia (C.D., T.H.D. e A.C.D.) Responsável: Prof. FÉLIX RIBEIRO (U.E.L. / I.S.E.P.).

1) Objetivo:

Levar ao conhecimento da Comunidade Científica, os resultados obtidos através da observação prática durante dez anos de trabalho desenvolvido por Cirurgiões-Dentistas por Técnicos em Higiene Dental e Auxiliar de Consultório Dentário, tanto na Rede Pública de Odontologia da Secretaria Municipal de Saúde de Londrina, como em Clínica Particular. Com isso, pretende-se transferir as experiências acumuladas pela equipe multiprofissional de odontologia, aos participantes do Congresso.

2) Justificativa:

O núcleo central dá Odontologia, na sua etapa de profissionalização avançada, é o paciente (no consultório particular) e a comunidade (serviço público). Um dos objetivos da profissão é a ampliação do diferencial custo-benefício, através do aumento da produtividade sem perder de vista a excelência da qualidade e amplitude de abrangencia preconizada pela Organização Mundial da Saúde.

Por outro lado, convém salientar que a justificativa maior prende-se ao fato de se considerar o paciente como uma entidade bio-psico-social valorizando seus aspectos culturais, principalmente. De tal maneira que a comunidade não seja considerada apenas como portadora de problemas odontológicos e sim, seres humanos que necessitam de constantes investimentos na Promoção da Saúde Coletiva. No caso específico, a Saúde Bucal deve ser privilegiada desde a vida intra-uterina, buscando atingir a idade adulta livres das doenças periodontal e cárie dentária.

Nesse contexto, o Técnico em Higiene Dental (por sua formação social e preventiva) apresenta fundamental importância para buscar o sucesso desse processo, o que, em nossa ótica, justifica o presente projeto.

3) Metodologia:

Este trabalho deverá ser apresentado através da condução de aula expositiva com a utilização de retrotransparências, gráficos demonstrativos, diapositivos e quadro de giz. A apresentação realizar-se-à com a participarão dos atores principais (THDs) que a partir de 1988 aplicaram seus conhecimentos, tanto no serviço público como na clínica particular. 0 trabalho consiste em observações clínicas através do trabalho desenvolvido em equipe multiprofissional (CD, THD, ACD), privilegiando os aspectos cognitivos, afetivos e psicomotor da comunidade (paciente), com respeito à assimilação e aplicação dos conhecimentos sobre as técnicas educativas e preventivas recomendadas, conforme as indicações específicas.

Em contrapartida, serão debatidos as vantagens e desvantagens da produtividade operacional, no que diz respeito as tarefas complementares (consideradas reversíveis) permitidas pelo THD, conforme determinação do Conselho Federal de Educação.

SP-47) "THDS EM CLÍNICA DE PREVENÇÃO (ORTODONTIA)"

Dra. Cristiana Tengan

Em 1997, durante o curso de Especialização, juntamente com Ortodontistas sentimos a necessidade de estarmos desenvolvendo um Programa de Prevenção para o Paciente Ortôdontico. Considerando que esse público alvo, é composto na sua maior parte por adolescentes e devido as dificuldades de higienização, resolvemos estudar e desenvolver estratégias de combate á cárie e doença periodontal.

No início de 1998, tive então a oportunidade de por em prática o Programa em uma clínica de Ortodontia muito conceituada em São José dos Campos. A convite do Dr. Celestino, adaptamos i programa a realidade de Ortogeo. A Ortogeo, trabalha com um sistema de clínicas modulares e utiliza 06 (seis) THDS nesta clínica.

A Ortogeo me deu total liberdade e autonomia para desenvolver o programa. Então, primeiramente forneci um treinamento.

No 1º dia - Comecei com a realização de um questionário individual (Neste questionário elas não precisaram se identificar) e foram abordadas com perguntas referentes a área de prevenção. Além disso também utilizamos perguntas pessoais, pedindo a opinião sobre a clínica de prevenção.

No 2º dia - Palestra com a utilização de transparências sobre os temas relacionados na transparência 01 e 02 e assistiram um filme de higiene em Ortodontia desenvolvido pelo Prof. Omar Gabriel da FOB

No 3 dia - Prática - realizamos o PHP e Profilaxia profissional com o jato e com micromotor (uma treinou na outra).

Os pacientes foram recebidos por THDs treinadas. Elas realizaram o PHP e avaliação de risco e a partir desta avalição receberam o tratamento adequado.

SP-48) "A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO SECUNDÁRIA EM SISTEMAS MICRORREGIONAIS DE SAÚDE – RELATOS DA EXPERIÊNCIA DOS CENTROS ESPECIALIZADOS DE ODONTOLOGIA DO CEARÁ: A REFERÊNCIA AO DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS E PERSPECTIVAS DA INTEGRALIDADE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/SUS"

CLÉLIA MARIA NOLASCO LOPES; CARLOS AUGUSTO NOLASCO LOPES

A municipalização que se dá com o Sistema Único de Saúde/SUS já produz resultados concretos: organização dos serviços com bases geográficas e administrativas, maior controle social via conselhos e mando único municipal. Os avanços conquistados se ampliam na busca da integralidade da atenção. No nível secundário, a organização dos serviços restrita aos limites de cada sistema local pode vir acompanhada de aspectos indesejáveis como a fragmentação de serviços e perda de escala; a baixa disponibilidade de recursos humanos especializados, materiais e organizativos dos municípios aponta a necessidade da articulação inter-municipal para viabilizar a atenção secundária resolutiva, de qualidade e custo acessível. Neste sentido a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará adota a estratégia de organização dos municípios em Microrregiões de Saúde.

O objetivo deste trabalho é relatar nossa experiência na organização dos Centros Especializados de Odontologia/CEO’s como propulsora da construção de sistemas microrregionais na área da saúde bucal; uma rede de consultórios odontológicos isolados e com baixa eficiência foi reorganizada em unidades com maior capacidade resolutiva. As ações coletivas de promoção e prevenção são sistematizadas para grupos populacionais cadastrados e referenciados às unidades clínicas para a atenção individual conforme ciclos de vida e grupos de risco. Serão apresentados resultados da fase de racionalização de recursos , da implantação de ações coletivas, da ampliação da capacidade instalada e da capacitação de recursos humanos para a atenção integral. Esta experiência é repassada aos municípios na perspectiva de ampliação e inserção no processo de organização das microrregiões de saúde.

SP-49) EXPERIENCIA EN EL INTERIOR DEL PAIS DOCENCIA – SERVICIO – INVESTIGACION MONTEVIDEO URUGUAY

Licet Alvarez y Cecilia Guelfi

INTRODUCCION:

La Facultad de Odontología de la Universidad de la República Oriental del Uruguay, cambió su Plan de Estudios.

En él se propone un nuevo perfil profesional. La primer generación de estos profesionales egresarán a fines del año 2000.

El curriculum de pre grado finaliza con dos semestres de pasantías por diferentes Servicios odontológicos.

Como experiencia preparatoria se realizó una experiencia de Docencia-Servicio-Investigación en el departamento de Salto al norte del país.

OBJETIVOS:

Crear un nuevo espacio de docencia; Favorecer la descentralización de la Facultad de Odontología; Estimular en el estudiante de odontología el abordaje de los problemas de salud en la comunidad; Mejorar las condiciones de salud de los escolares de Villa Constitución a través del componente Salud Bucal

METODOLOGIA:

Se concurre cada 6 meses y se trabaja en las escuelas de Villa Constitución en un Plan Preventivo - Educativo - Asistencial - Incremental. Se cuenta con una Policlínica móvil del Ministerio de Salud Pública.

RESULTADOS:

Se presentan los resultados luego de dos años y se desarrollan las conclusiones desde el punto de vista de costos, mantenimiento en salud y evaluación docente y estudiantil de la misma.

SP-50) "AVALIAÇÃO DO TEOR DE FLÚOR NA ÁGUA DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA – ES"

Helena Carla Gomes FERREIRA; Ana Maria Martins GOMES

O teor de flúor considerado ótimo para o município de Vitória - ES, em 1982, foi de 0.7 ppm. Com a fluoretação da água de abastecimento público ocorreu uma redução no CPOD, entretanto, foi observado uma prevalência alta de fluorose, onde 70,8% das crianças com 12, 13 e 14 anos apresentaram algum grau de fluorose. Com base nesses dados, foi colhida água dos bebedouros de 14 escolas situadas nas 7 microrregiões da cidade em duas oportunidades diferentes para medida do teor de flúor. Os resultados obtidos, nos permitiram concluir que o teor médio de flúor foi de 0,40 e 0,42 ppm. A variação no teor de flúor das escolas foi grande, variando de 0,26 a 0,65 ppm. Considerando as mudanças térmicas ocorridas nos últimos anos e o grau de fluorose apresentado pelas crianças que nasceram e residiam na cidade, um estudo sobre o teor de flúor ideal para as situações atuais, e uso múltiplo do flúor se faz necessário. A vigilância da qualidade da água, com o objetivo de acompanhar o teor de flúor na água oferecida à população deve ser cumprida.

SP-51) "PREVALÊNCIA DE FLUOROSE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE LONDRINA"

Cristiane de Andrade Janene Gonini; Euterpe Machado Frigeri Barczynsczy; Maria Celeste Morita; Maria Luiza H. Iwakura

A fluorose dentária é uma alteração do esmalte causada pela ingestão de flúor durante a formação do dente.Em regiões com água fluorada nos limites recomendados pela OMS (0,7 a 1,2 ppm F), estima-se que cerca de 10% da população apresente fluorose dentária nas formas mais leves, o que é considerado aceitável diante do benefício quanto à redução de cáries. Entretanto, estudos de diversos países têm mostrado que a prevalência de fluorose dentária vem aumentando em regiões fluoradas e em não fluoradas. Este aumento tem se dado nas formas leves, porém fluorose moderada tem sido diagnosticada. A maior disponibilidade de fontes de flúor atualmente pode estar levando a uma ingestão aumentada deste elemento por crianças e causando um aumento na ocorrência da patologia. Em Londrina, região com água fluorada desde 1972 (0,8 ppm F), realizaram-se levantamentos epidemiológicos de fluorose dentária em 1995 e 1996. Em 1995, foram examinadas 1144 escolares de 6 a 12 anos de idade, da rede pública de ensino e em 1996 examinaram-se 480 escolares de 12 anos de idade, de escolas públicas e privadas. Os exames foram realizados com o Índice de Dean. Em 1995, contatou-se uma prevalência de fluorose de 39,5% e um ICF de 0,46. Em 1996, a prevalência foi de 47,6% e o ICF de 0,62. Em ambos os estudos, a maioria dos casos foi classificada como muito leve ou leve, porém fluorose moderada foi diagnosticada em alguns indivíduos. Conclui-se que a prevalência de fluorose dentária na população escolar londrinense apresentou-se acima dos limites da OMS e que os fatores associados a este aumento precisam ser identificados para que medidas de prevenção de fluorose possam ser colocadas em prática.

SP-52) "PREVALÊNCIA DE FLUOROSE DENTÁRIA EM CRIANÇAS DE 12, 13 E 14 ANOS DE IDADE NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA - ES."

Kátia Regina de Castro Santos Silva; Ana Maria Martins Gomes

Como a prevalência de fluorose vem aumentando significativamente nas últimas décadas, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o índice de fluorose dentária nas crianças da faixa de 12, 13 e 14 anos matriculadas em escolas públicas e particulares, nascidas e residentes nas sete microrregiões que compõem o Município de Vitória - ES. Água fluoretada considerada ótima é fornecida pela Companhia Espírito-Santense de Saneamento (CESAN) desde 1982.Um total de 630 crianças foram examinadas por quatro cirurgiões-dentistas, calibrados e treinados para o diagnóstico diferencial e graus de fluorose, sendo que 31 foram eliminados por não preencherem todos os requisitos da pesquisa. O índice de fluorose utilizado foi o de HOROWITZ17 et al. (1984 - TSIF).Os pais das crianças responderam a um questionário sobre o uso de flúor tópico profissional, em forma de bochechos e uso de creme dental com flúor, sendo que nesta variável a idade do início da escovação, a freqüência e quem colocava a pasta de dente na escova também foram avaliados. Teste t de Student ao nível de 5% de significância e o teste Qui-quadrado foram empregados a fim de analisar as diferenças entre os índices médios de fluorose nos diferentes grupos e a existência de dependência entre duas variáveis. Os resultados obtidos demonstraram que somente 29,2% das crianças possuíam grau 0 (zero) de fluorose e que 70,8% apresentavam fluorose assim distribuídas: 0.01 - 1.0 grau = 46,1%, 1.01 - 2.0 grau = 15,8%, 2.01 - 3.0 grau = 7,2% e > 3.0 = 1,7%.

SP-53) "POESIA - PROGRAMA ODONTOLÓGICO ESCOLAR BASEADO NO SISTEMA DE INVERSÃO DA ATENÇÃO."

Áureo Neves dos Reis

Fundamentado-se no sistema de inversão da atenção, o programa de saúde bucal foi implantado em Ipatinga depois da constatação do fracasso do método tradicional, onde se tratava a doença de forma curativa.

Com o novo sistema, foram revistos os conceitos da época, passando a desenvolver ações que objetivam prevenir a incidência da doença, com atenção diferenciada conforme necessidades dos diversos grupos de risco.

Diante do sucesso do projeto piloto instalado em uma escola da rede municipal , o programa rapidamente se expandiu e hoje atende a mais de quarenta e cinco mil estudantes , na faixa etária de 6 a 14 anos.

A equipe do POESIA é formado por:

* CD-Cirurgião Dentista - procedimento de adequação do meio bucal,curativos, restauradores e palestras.

* THD-Técnico em Higiene Dental - palestra, motivações, profilaxia, aplicação de flúor gel, clorexidina e selantes .

* ACD- Auxiliar de Consultório Dentário - auxilio ao cirurgião dentista . Manipulação de material, lavagem e esterilização de instrumental, limpeza e conservação de equipamentos.

* AHO- Auxiliar de Higiene Oral - escovação supervisionada com bochecho de flúor semanal.

Na primeira etapa da implantação do POESIA , o programa foi dividido em fases, a seguir:

1ª fase - Fase da Adequação do Meio Bucal

Essa fase tem por objetivo reduzir a níveis mínimos a atividade do processo carioso onde o CD faz a remoção parcial do tecido cariado e colocação de curativos de cimento provisório em dentes decíduos e permanentes , exodontias de raízes residuais , pulpotomias e pulpectomias. Cabe a THD , a realização dos procedimentos de Educação para Saúde (motivação , instrução de higiene oral e dieta , palestras) , profilaxia , aplicação tópica de flúor gel , clorexidina gel, selantes, e a classificação em grau de risco a cárie - Alto Risco ou Baixo Risco .

As fichas clínicas dos alunos são arquivadas e o seu retorno é programado de acordo com a sua classificação , sendo :

A - Risco - retorno semestral

B - Risco - retorno anual

Na 2ª fase do programa, denominada de fase restauradora, o CD restaura definitivamente os dentes permanentes, e o atendimento dessa criança pela THD é de acordo com o seu retorno programado.

Atualmente,as fases 1ª e 2ª do programa se fundiram pois a demanda dos serviços diminuíram com reflexo do controle da cárie já existente pela inversão da atenção.

As THD’S e as ACD’S desempenham continuamente procedimentos coletivos nas escolas do município ( rede municipal e estadual ) ,cujas atividades realizadas são:

* Bochechos semanais com solução de fluoreto de sódio á 0,2%

* Evidenciação e escovação supervisionada semanalmente

* Escovação com flúor gel trimestralmente

* Fornecimento periódico de escovas, cremes dentais, flúor, fucsina, almotolias e mapas de controle.

As THD’S coordenam esse trabalho responsabilizando pelo treinamento, distribuição de material e supervisionamento da equipe. As ACD’S orientam os bochechos nas escolas públicas.

Dando sequência ao programa de Atenção á Saúde Bucal , a Prefeitura Municipal de Ipatinga passou a investir em novas metas, com a implantação do centro de Atenção Secundária, onde são encaminhados pacientes que necessitam de tratamento endodônticos e próteses unitárias (R.M.F, Coroas, Resinas Especiais), próteses totais e parciais.

Também criou-se o programa materno infantil, que tem como objetivo oferecer orientações preventivas, atendimento coletivo e tratamento global ás gestantes e seus filhos menores de cinco anos, incluindo posteriormente o bebê.

O recém-nascido terá seu primeiro atendimento a partir do oitavo mês, na Clínica Odontológica do Bebê, que foi criada para ampliar o atendimento na faixa etária de 0 á 3 anos através de uma equipe especializada.

Como fruto deste trabalho, Ipatinga possui hoje o menor índice de saúde bucal do país.

Desde a implantação do programa , o índice CPOD, que era de 6,8 em 1989, teve uma redução de 95%, estando em 1998 à 0,75 superando o índice preconizado pela OMS para os municípios brasileiros atingirem até o ano 2010, que é de 1,0.

SP-54) "ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL NO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL"

Marco Antonio de Melo Fonseca

Na administração moderna, é de fundamental importância que se faça planejamento, tenham resolução adequada, atingindo assim os objetivos propostos.

Neste sentido, este trabalho traça um perfil de saúde bucal do Estado do Mato Grosso de Sul, incluindo questões básicas da área. Conclui que um dos aspectos mais importantes a serem trabalhados são os dados da população que se quer abranger.

SP-55) "IMPACTO SOCIAL DE UN NUEVO MODELO DE EDUCACIÓN ODONTOLÓGICA"

Medina, M.M.; Irigoyen, S.; Iriquín, S.M.; Durso, G.; Paleo, M.; Saidman, J.; Lazo, G.; Lazo, S.; Viskovic, M.C.; Rancich,L.

El presente trabajo surge a partir de un programa educativo para enseñar la Odontología enmarcado en el perfil Profesional que las necesidades de la sociedad le estan señalando. Se utilizó una propuesta de investigación: acciön Con efectos formativos sobre los recursos humanos en Odontologia e impacto sobre la población cubierta, con reconversión de patologías prevalentes y generación de agentes multiplicadores de salud bucal. El objetivo de este estudio es determinar el impacto social del proyecto educativo por generación de agentes multiplicadores y reconversión de patologías prevalentes de la cavidad bucal. La experiencia se realizó en una comunidad cerrada de indios TOBAS integrada por 500 familias (entre estables y transitorios) asentadas en el partido de La Plata-Barrio Islas Malvinas-en la que se procedió a caracterizar la población y su organización social;se determinaron los índices epidemilógicos (caries 92.9%-enfermedades periodontales 84.1%). Se identificó, seleccionó y analizó los factores de riesgo homogéneo y específico. El programa con capacidad resolutiva hasta el 2° nivel centró su interés en la familia y se insertó en su esquema cultural con activa participación de 20 líderes comunitarios que facilitaron un abordaje integral y reconversión epidemiológica (caries 12.3% - enfermedades periodontales 14.2%). Población total cubierta 2438. Prestaciones realizadas 16312. % de altas 97.59.

Los resultados demuestran que el programa educativo utilizado produce impacto en la población cubierta por Generación de agentes multiplicadores de salud y reconversión de índices epidemiológicos.

SP-56) "EXPERIENCIA DE LA FACULTAD DE ODONTOLOGÍA DE MONTEVIDEO - URUGUAY EN UN PROGRAMA DE DOCENCIA - SERVICIO - INVESTIGACIÓN EN SERVICIOS ODONTOLÓGICOS Y A NIVEL COMUNITARIO"

Dr. Ruben Ringel

INTRODUCCIÓN:

a) En nuestro país han adquirido un importante desarrollo los Programas de Salud bucal a nivel estatal y privado. Han surgido servicios de Salud bucal a nivel barrial, centros laborales, creados por la propia comunidad y se han desarrollado otros desde el Ministerio de Salud Pública, Intendencias, Empresas públicas y privadas.

b) La Facultad de Odontología procura dar respuesta a las necesidades que surgen desde la sociedad con un nuevo Plan de estudios que tiene como uno de sus ejes la estrategia de Docencia - Servicio en servicios de Salud bucal y a nivel comunitario.

OBJETIVOS:

Formar Odontólogos capaces de planificar y operar en sistemas de atención. Los servicios deberán asegurar una cobertura de salud universal, integral accesible y participativa. Deberán tener orientación preventiva y contenido humano para mejorar el nivel y calidad de vida de toda la población.

CARACTERÍSTICAS:

a) Pedagógicos : Aprendizaje en condiciones reales. Pasantía curricular y obligatoria no menor a 1 año. Participación de docentes y estudiantes de todas las Cátedras clínicas y de los cursos de, Laboratoristas, Asistentes e Higienistas.

Modelo Asistencial : Aplicación de la estrategia de Atención Primaria en Salud privilegiando acciones de 1 er y 2 do nivel de atención - Adecuación del plan

b) asistencial a las condiciones socio - económicas de la comunidad - Modelo Innovado de Atención Odontológica en las Escuelas.

PARICIPACIÓN COMUNITARIA:

Constituye un eje central del Programa. En forma conjunta con las organizaciones de la comunidad se participa en los programas se Salud.

CONCLUSIONES:

Los cambios originados en la educación odontológica están comenzando a formar odontólogos con una visión más amplia de la práctica odontológica. Es un proceso en el que el desafío es profundizar el modelo pedagógico y asistencial atendiendo y profundizando la práctica en Servicios y comunitaria.

SP-57) "PARA QUE EL CERRO SONRIA"

Dra. María Teresa Almaráz Cianni

INTRODUCCION

La Villa del Cerro se encuentra ubicada al oeste de la ciudad de Montevideo y ocupa un área aproximada de 40 m2. El Policlínico Odontológico de la Villa del Cerro nace como una necesidad de la comunidad debido a la imposibilidad que ella tiene de resolver los graves e importantes problemas de salud que se le presentan, en el marco de una activa participación comunitaria el 8 de mayo de 1993. Tiene convenios con la Intendencia Municipal de Montevideo, la Facultad de Odontología y el Programa Apex Cerro.

OBJETIVOS

Mejorar la salud buco-dental de la población del Cerro, mediante la participación activa de la comunidad con la autorización de técnicas simplificadas con fuerte contenido educativo-preventivo contribuyendo a mejorar la calidad de vida de la gente, a fomentar la investigación de las ciencias de la salud y las ciencias sociales en una realidad que les es común.

METODOLOGIA

El Policlínico es administrado por la comunidad representada por una Comisión Fomento, cuyas autoridades se renuevan periódicamente. Su programa es educativo-preventivo-asistencial.

RESULTADOS

En 1997 se realizaron 6.538 sesiones del programa educativo-preventivo-asistencial y 1812 prestaciones de urgencia.

CONCLUSIONES

Luego de 5 años de trabajo sigue vigente la motivación de la comunidad y de los técnicos en un modelo de atención innovador, que se fue modificando de acuerdo a la necesidad de la gente y a la realidad socio-económica del medio donde todos los protagonistas (técnicos, vecinos y Facultad de Odontología) comparten la responsabilidad de las decisiones.

SP-58) ERRADICACION DE LA CARIES DENTAL : "UNA EXPERIENCIA DE 20 AÑOS "

DRA. NORA CHAVES QUIROS

INTRODUCCION:

En 1979, la Facultad de Odontología, U.C.R., se planteó la estructuración de los Programas Comunitarios como innovación, de manera que el estudiante de sexto año planificara y realizara sus actividades clínicas en un ambiente real. Dado que Palmares presentaba las condiciones de ser una comunidad organizada, solidaria y deseosa de tener salud, la U.C.R. inició el Programa Interdisciplinario de Atención Primaria para la Salud Oral.

OBJETIVOS:

Involucrar a los estudiantes de sexto año y otros en docencia, servicio e investigación dentro de un concepto integral de salud.

Medir el impacto y los resultados de las acciones sobre la población, considerando la caries dental como enfermedad trazadora.

Comprender y visualizar la importancia de la participación popular dentro de un concepto integral de salud.

Promover, mantener y fortalecer el nivel de salud oral en los niños escolares.

METODOLOGIA:

La actividad se enfoca en 10 Centros Educativos de zona rural , utilizando una clínica móvil simplificada que rota mensualmente, se promueven y se brindan tratamientos, enfatizando la importancia de la salud oral.

RESULTADOS:

1980: C.P.O. de 10 / 1985: C.P.O. de 5.09/1991: C.P.O. de 2.33. / 1988: se inicia la aplicación rutinaria de sellantes de fosas y fisuras en piezas posteriores./ 1995-1998: Gracias a la efectividad de los sellantes no se presentaron exodoncias y las pocas caries detectadas fueron incipientes y poco agresivas.

CONCLUSION:

Después de 20 años de ejecución del Programa, se demuestra que la U.C.R. y la comunidad organizada pueden mantener una excelente salud oral a bajo costo y gran beneficio.

SP-59) "PROGRAMAS ESCOLARES – DOCENCIA SERVICIO INVESTIGACIÓN"

Dra. Alba Lidia Carvallo Sena

INTRODUCCION:

La Facultad de Odontología por intermedio de su Programa Docencia – Servicio – Investigación viene desarrollando desde hace seis años en escuelas Públicas del País que fueron priorizadas debido a sus características socio-económico-culturales, un Programa Educativo – Preventivo Asistencial e Incremental.

OBJETIVOS:

Mejorar la salud bucal de los niños de las escuelas antes mencionadas mediante un Programa Educativo-Preventivo Asistencial e Incremental, con fuerte contenido Educativo-Preventivo que permita revertir el perfil epidemiológico escolar

METODOLOGIA:

El Programa se lleva a cabo "in situ" en dichas escuelas, con la participación de docentes y estudiantes de 3º. Y 5º. Año de la Facultad de Odontología que realizan las tareas inherentes al programa en forma curricular.

RESULTADOS:

Tomando como ejemplo tres escuelas Públicas de la ciudad de Montevideo, la Villa del Cerro", en 1998, fueron asistidos por el programa Educativo Preventivo 2095 niños.

CONCLUSIONES:

A medida que se va desarrollando el Programa Educativo – Preventivo-Asistencial e Incremental se percibe el impacto creado a nivel Educativo en los escolares, así como también en los estudiantes en lo referente a la formación de recursos humanos mas comprometido con las necesidades de la comunidad

SP-60) LEVANDO A ODONTOLOGIA AO SEU BAIRRO

Dr. Fernando Antonio Tambelini Juliani / Dra. Alessandra Tritto Ladeira / Dra. Marilia Fernandes Mathias / Dr. Luiz Vicente S. Martino

SAMEB – Serviço de Assistência Médica de Barueri

INTRODUÇÃO:

O projeto "O PREFEITO NO SEU BAIRRO", que já existe à um ano e meio, tem como finalidade levar e divulgar as atividades executadas pela Prefeitura Municipal de Barueri. Dentro destas atividades, se inclui o SAMEB (SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA DE BARUERI), que atua fazendo, desde orientações até exames simples no próprio local.

Dentro dos serviços executados pelo SAMEB, a Odontologia participa ativamente fazendo orientações quanto à higiene bucal, dieta, hábitos, etc.

OBJETIVOS:

Fazer com que as orientações de prevenção Odontológica cheguem de uma forma direta e simplificada até a população.

Esclarecer e desmistificar o serviço do profissional de Odontologia.

Estabelecer um vínculo com o público alvo (pré-escolas, escolas de 1º e 2º graus, gestantes e pais de alunos).

Estimular, através de uma linguagem informal, o hábito de higiene oral.

METODOLOGIA:

São utilizados os seguintes recursos: Teatro de fantoches; Musicais educativos; Palestras para gestantes e Distribuição de escovas e pastas de dentes.

No local do evento é montado um stand, colocando-se um palco para execução do teatro de fantoches e bancos para acomodar o público. Divide-se o população em grupos, na entrada cada indivíduo recebe uma escova com pasta de dentes e é encaminhado ao local da apresentação.

Durante a encenação da peça, os profissionais odontológicos dão orientações de dieta, eliminação de maus hábitos e técnica de escovação. O público interage com os personagens da peça e participam, de forma prática, da escovação.

Após a apresentação, há uma exposição de material (mesa clínica) que dá orientação da atuação do flúor, uso do fio dental, etc.

RESULTADOS:

Em cada evento, passam pelo projeto odontológico, um médica de 700 pessoas.

CONCLUSÃO:

Notamos que este método de abordagem, tem aumentado bastante o interesse da população em relação à saúde bucal.

SP-61) NECESSIDADES ODONTOLÓGICAS DE ESCOLARES DE DUAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE BELA VISTA DO PARAÍSO - PR

Autora: Eliane Salomão
Instituição: Prefeitura Municipal de Bela Vista do Paraíso

Resumo:
As escolas municipais Parigot de Souza e Clélia M. A. O. Albuquerque, atendidos no Posto de Saúde Orlando do Rio foram submetidas a um levantamento de necessidades odontológicas. O objetivo foi comparar as necessidades odontológicas nos anos de 1997 e 1998 de ambas as escolas. Para isso foram levantadas fichas de crianças com idade entre 6 e 11 anos que compareceram à clínica no referido período. Fichas com o preenchimento incompleto foram ignoradas. Foram levantados os dados referentes somente à dentição permanente e os resultados num total de 511 atendimentos foram em 1997 e 1998 respectivamente 734 e 628 selantes, 233 e 288 aplicações de flúor, 163 e 116 restaurações CL I, 5 e 3 restaurações CL II, 8 e 21 indicações endodônticas, 1 e 3 indicações exodônticas. A partir destes dados, concluímos que existe a necessidade de melhorar a parte educativa do atendimento a pesar dos procedimentos curativos estarem diminuindo. Necessita-se de transporte para o atendimento das crianças da Escola Clélia M. A. O. Albuquerque já que esta encontra-se distante do Posto de Saúde, dificultado o atendimento. Ainda necessita-se da criação de vagas para tratamento endodôntico. A maior dificuldade para o atendimento das crianças de ambas as escolas é a falta de conscientização dos pais em procurar um atendimento preventivo para seus filhos o que gera o aumento do número de indicações endodônticas e exodônticas.

SP-62) ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO À GESTANTE: UM ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL

BOER, Mauro C.; SOUZA, E.A; SOUZA, AAR.

Prefeitura Municipal de Cambé - PR.

INTRODUÇÃO:

Prevenir tem sido a palavra de ordem da odontologia brasileira e o trabalho da área odontológica desenvolvido em nosso município retrata com primazia esta questão.

A população total do município de Cambé, consta de 82.130* habitantes, onde estíma-se que 3,5% desta seja composta por gestantes. Em posse desses dados e empenhando-se sempre na busca da saúde bucal, este projeto aspira uma nova fase dentro do nosso programa de prevenção, com a expectativa de promover uma mudança comportamental da gestante diante de sua saúde bucal e por conseguinte, da saúde bucal do seu bebê.

O desenvolvimento das ações deste projeto se intensifica à medida em que se propõe a implantação de um atendimento odontológico numa filosofia, principalmente educativa, enfatizando o trabalho preventivo, além das atividades de ordem curativa.

* Fonte: S.M.S.P. Cambé - 96 (dado preliminar)

SP-63) SONAC - (SORRINDO NA CRECHE)

GOMES, Giselle; BERTOLETTI, Arlete; GAMA,Araceli; RIBEIRO DE SOUZA, Rosani; ROSSETO, Rosana.
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PÚBLICA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBÉ E ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO À MATERNIDADE E INFÂNCIA DE CAMBÉ

Na tentativa de recursos inovadores para mudar o quadro epidemiológico bucal, alguns dentistas envolvidos na 1º infância, desenvolveram uma experiência para implantação de tratamento odontológico preventivo-educativo, nas creches municipais.

Somaram-se forças para este trabalho a Secretaria Municipal de Saúde Pública de Cambé e a Associação de Proteção à Maternidade e Infância deste município, para que juntos conquistassem uma melhor qualidade de vida desta população.

Os objetivos foram o atendimento diferenciado as crianças atendidas pelas creches municipais, deslocando a equipe odontológica das Unidades Básicas de Saúde até as creches, desenvolvendo ações Educativo - Preventiva e se necessário curativas promovendo e mantendo a Saúde Bucal.

Aumentar a cobertura de atendimento e diminuir as faltas ao atendimento clinico já oferecido pela instituição.

Foi realizada a capacitação teórico-prático em Saúde Bucal para professores e berçaristas; conscientização de pais; ações educativas (palestras) e preventivas (orientação de higiene) dirigidas as crianças das creches; e atendimento clínico propriamente dito.

Mais de 90% da população envolvida avaliou como ÓTIMO o trabalho realizado, e obteve-se um controle satisfatório dos níveis de cárie.

Através de poucos recursos financeiros, equipamentos simplificados, locais adaptados para atendimento - escovações e profissionais conscientes é possível mudar o quadro da Saúde Bucal da população alvo.

SP-64) AVULSÃO TRAUMÁTICA EM DENTES PERMANENTES

Autores: Jonas Zibetti, Fábio A. Klassmann, Marli M. Schmitt Walker, Débora C. Massaro, Fernanda R. A. Coppini
Divisão de Odontologia - SECRETARIA MUNICIPAL da SAÚDE DE CASCAVEL PR

Em pesquisa realizada nas Unidades Básicas de Saúde e Escolas Municipais de Cascavel PR, foi observado que 87% dos Pais, Professores sentiam-se inseguros em tomar atitudes de socorro em seus filhos e alunos respectivamente. Acidentes são ocorrências inesperadas nas quais as pessoas envolvidas apresentam-se com o estado emocional abalado, tornando-se necessário uma atitude rápida e eficaz, para o sucesso da reimplantação do elemento dentário.

Diante disto, foi confeccionada uma cartilha descritiva-ilustrativa que tem como objetivo central, fornecer orientações de como proceder diante da conseqüencia de um acidente, seja avulsão, fratura, concussão ou luxação, do elemento dentário.

A Secretaria Municipal da Saúde de Cascavel direciona este trabalho para pais, professores e monitores de creches, e sua distribuição é realizada nas escolas e creches, sendo acompanhada de uma palestra com material visual (banner).

O programa que está em andamento pretende atingir 26.000 crianças, assim como seus responsáveis diretos de modo que estes se sintam seguros e aptos nas ações de recuperação do dente avulsionado.

SP-65) GRABADO ÁCIDO SOBRE TEJIDO REMINERALIZADO

Medina, M.M.; Iriquín, S.M.; Bruno, E.; Bonacina, D.A; Pólvora, B.; Rancich, L.; Rimoldi, M..
Facultad de Odontologia. U.N.L.P.

En estudios realizados precedentemente pudimos demostrar que el fluoruro diaminíco de plata aplicado en pequeñas caries de piezas dentarias permanentes produce acción inhibitoria sobre la caries, la detiene y la remineraliza. Acción visible clínica, radiográfica y microscópicamente en el 100 % de los casos. Ofreciendo como ventajas su bajo costo y técnica sencilla que no requiere la utilización de anestésicos ni instrumentos rotatorios y como desventaja la aparición de una pigmentación negra totalmente antiestética que lo descalifica en la Odontología de hoy que cuenta con materiales excelentes en resistencia y estética.El objetivo del presente estudio fue comprobar que la reminertalización producida por cariostáticos en pequeñas caries de dientes permanentes no desaparece por la intervención del grabado ácido necesario para la adhesión de resinas compuestas. Se seleccionaron 50 piezas dentarias permanentes con pequeñas caries de esmalte y dentina, 25 de las cuales tenian extracción indicada por otra causa. En todos los casos se realizó radiografía pre y post operatoria,aislación absoluta del campo,aplicación con pincel de fluoruro diamínico de plata al 38 %, grabado ácido, restauración con resina compuesta de fotocurado. En los casos de extracción indicada la pieza se conservó en saliva artificial a 37 °C hasta realizar los cortes correspondientes que fueron estudiados en el microscopio electrónico de barrido. El 100 % de los casos estudiados conservó la remineralización producida por el cariostático.

El grabado ácido necesario para la adhesión de resinas compuestas de fotocurado no altera la remineralización producida por cariostáticos en pequeñas caries de piezas dentarias permanentes.

Investigación subsidiada por UNLP.

SP-66) IMPACTO SOCIAL DE UN PROGRAMA EDUCATIVO

Medina, M.M.; Irigoyen, S.; Iriquín, S.M.; Durso, G.; Paleo, M.; Saidman, J.; Lazo, G.; Lazo, S.; Viskovic, M.C.; Rancich, L.
FACULTAD DE ODONTOLOGIA: UNLP

El presente trabajo surge a partir de un programa educativo para enseñar la Odontología enmarcado en el perfil Profesional que las necesidades de la sociedad le estan señalando. Se utilizó una propuesta de investigación:acciön Con efectos formativos sobre los recursos humanos en Odontologia e impacto sobre la población cubierta, con reconversión de patologías prevalentes y generación de agentes multiplicadores de salud bucal. El objetivo de este estudio es determinar el impacto social del proyecto educativo por generación de agentes multiplicadores y reconversión de patologías prevalentes de la cavidad bucal. La experiencia se realizó en una comunidad cerrada de indios TOBAS integrada por 500 familias (entre estables y transitorios) asentadas en el partido de La Plata-Barrio Islas Malvinas-en la que se procedió a caracterizar la población y su organización social;se determinaron los índices epidemilógicos (caries 92.9%-enfermedades periodontales 84.1%). Se identificó, seleccionó y analizó los factores de riesgo homogéneo y específico. El programa con capacidad resolutiva hasta el 2° nivel centró su interés en la familia y se insertó en su esquema cultural con activa participación de 20 líderes comunitarios que facilitaron un abordaje integral y reconversión epidemiológica (caries 12.3%-enfermedades periodontales 14.2%). Población total cubierta 2438. Prestaciones realizadas 16312. % de altas 97.59.- Los resultados demuestran que el programa educativo utilizado produce impacto en la población cubierta por Generación de agentes multiplicadores de salud y reconversión de índices epidemiológicos.

Investigación subsidiada por UNLP.

SP-67) INSERCIÓN LABORAL Y FORMACIÓN PROFESIONAL EN EGRESADOS DE LA FOLP

Medina, M.M.; Irigoyen, S.A; Mosconi, E.; Rueda, L.A. A; Coscarelli, N.Y..
Facultad de Odontologia .U.N.L.P.

La formación de odontólogos enfrenta el desafío de mantener su relevancia social en el marco de su masificación y complejización, ante el requerimiento de mejorar el nivel de calidad de los conocimientos impartidos y las competencias adquiridas indispensables para desempeñarse en el mundo del trabajo. Los cambios que se están procesando en los mercados laborales y los avances tecnológicos llevan al cuestionamiento de los perfiles de capacitación tradicionales, dificultando su planificación y requiriendo observar la inserción efectiva de los egresados para reconocer la eficiencia de su formación El objetivo del presente trabajo fue analizar la ense-ñanza Odontológica en egresados de la F.O.L.P. Se realizó un estudio transversal de tipo descriptivo, el universo lo constituyeron todos los egresados de la Facultad de Odontologia de la U.N.L.P. entre el 1/1/1992 y el 31/12/1995 en total 1053 correspondiendo: 294 al año 1992; 237 al año 1993; 277 al año 1994 y 245 al año

La fuente de documentación la constituyo el CESPI y se complementó con los registros de la Secretaria de Post-grado, Colegios, Asociaciones Profesionales y Centro de Graduados. Se utilizaron como instrumentos la entrevista personal y una encuesta estructurada y semiestructurada.De los 795 odontólogos que contestaron la encuesta el 85.7 % ejercen práctica privada a la que dedican el 45% de su tiempo y además trabajan en instituciones públicas y privadas a las que dedican respectivamente el 33 y el 21% de su tiempo.Se consideran bien preparados en odontología restauradora actividad que realizan con mayor frecuencia. El 100% aplica métodos de prevención con todos sus pacientes siendo la enseñanza de técnica de cepillado el mas usado. El 11.3% se dedica exclusivamente a la docencia y a la investigación y el 3% a otras actividades. El 92% tiene interés en realizar formación de post-grado. El destino laboral de los egresados de la FOLP es principalmente la práctica profesional privada. Se encuentran bien preparados en odontología restauradora. Todos aplican métodos preventivos y un alto porcentaje desea realizar formación de post-grado.

Investigación subsidiada por UNLP.

SP-68) "ODONTOLOGIA EM IBIPORÃ – A BUSCA DE UM IDEAL".

Edna Camargo Carvalho Pinto; Fernanda Gomes Milanez Garboza; Leilaine Aparecida Furlaneto Rodrigues; Luciene Regina Santana Andreatti; Satílio Kasai; Teresa Senoo Kakuno
Prefeitura Municipal de Ibiporã
Secretaria Municipal da Saúde
Setor de Odontologia

Introdução:

A Prefeitura do Município de Ibiporã visa abranger as necessidades dos seus 42.000 habitantes através dos serviços prestados por suas Secretarias e Autarquias.

O SAMAE é uma Autarquia Municipal de grande importância nesta integração entre os serviços prestados à comunidade, pois oferece ao Município 100% de água tratada e fluoretada e 95% do sistema de esgoto tratado.

Objetivo:

Oferecer à população um atendimento de forma abrangente e eficaz, através da atenção preventiva, curativa, emergencial e reabilitadora.

Metodologia:

A população infanto-juvenil tem seu atendimento realizado pela Bebê-Clínica, Odontopediatria e Plano Incremental (ainda em atividade neste Município).

A população adulta é atendida nas Unidades Básicas de Saúde através do atendimento de Livre Demanda e de Programas Específicos para Gestantes, Terceira Idade e Prótese Dental para Carentes.

Conclusão:

O Setor de Odontologia tem buscado promover Programas que atendam todas as faixas etárias, dos Bebês à Terceira Idade.

Espera-se que com os trabalhos desenvolvidos e juntamente com a integração de outros serviços, possamos contribuir para a melhoria da Saúde da população com consequente melhora na sua qualidade de vida.

SP-69) SAÚDE BUCAL NO MUNICÍPIO DE IPATINGA-MG

CD Áureo Neves dos Reis / CD Ana Luiza Coelho / CD Israel Gomes Rosa Filho / CD Alba Valéria Alves
Prefeitura Municipal de Ipatinga
Secretaria Municipal de Saúde
Departamento de Odontologia

INTRODUÇÃO:

Este presente trabalho visa mostrar os avanços obtidos no município de Ipatinga-MG, no que tange a Saúde Bucal, e provar que se houver uma política de saúde bucal com investimento, compromisso e vontade política , os resultados serão satisfatórios.

OBJETIVOS:

O trabalho desenvolvido pelo Departamento de Odontologia a partir de 1989, objetivou a mudança do modelo assistencial dominante, onde as ações de caráter curativo-individual eram privilegiadas, em detrimento às de caráter preventivo-coletivo.

METODOLOGIA:

A implantação desta nova prática de atenção à Saúde Bucal no município de Ipatinga passou por uma redefinição da composição e perfil da equipe de saúde bucal, bem como pela reestruturação de toda rede física(espaço,materias e equipamentos etc.).Foi implantado o cargo de Técnico de Higiene Dental (THD) no plano de cargos e salários da Prefeitura .

Dentro desta perspectiva, os recursos humanos auxiliares, passam a desempenhar um papel ativo no processo, diferentemente do papel que vinham exercendo, no modelo "tradicional", onde o Cirurgião Dentista era sujeito único na produção do trabalho odontológico.

O grupo populacional, cerca de 45 mil escolares na faixa etária de 5 a 14 anos , é dividido no primeiro momento, conforme a predição epidemiológica e a presença de sinais clínicos indicadores de cárie ativada, em dois níveis de classificação: baixo risco e alto risco.

Os procedimentos coletivos (bochechos com flúor, evidenciação de placa e escovação supervisionada) são prioridades. As agentes de saúde escolar são acompanhadas da supervisão de THD encarregadas, que treinam e reciclam as agentes em intervalo e tempo regular .

RESULTADOS:

O índice CPOD aos 12 anos, que era de 6.8 em 1989, caiu para 0,75 em 1998. Conforme mostra os gráficos a seguir.

SP-70) ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AOS KAINGANG DA RESERVA INDÍGENA APUCARANINHA

AUTORA: CYNTIA CRISTINA FIORI
PREFEITURA MUNICIPAL DE LONDRINA - SERVIÇO MUNICIPAL DE SAÚDE.

A idéia da realização deste trabalho deu-se por já estarmos atuando há mais de dois anos nesta área integrados a uma equipe multidisciplinar de saúde (médicos, enfermeira, auxiliares de enfermagem, dentista e auxiliar odontológico). O objetivo desta apresentação é demonstrar a atuação da equipe de saúde dentro da Reserva Indígena Apucaraninha.

São vários os levantamentos de incidência de cárie e doença periodontal no Brasil, mas poucas são as informações relativas às áreas indígenas.

Informalmente, o que podemos observar são índices de cárie e doença periodontal altos, ainda que, muito variantes dependendo do grau de contato da população indígena com a população branca circunjacente. Além da falta de dados referentes à condição bucal das populações indígenas, observamos que, historicamente, o atendimento odontológico tem mantido um caráter mutilador, sendo poucas as experiências na área de prevenção, educação em saúde e formação de pessoal auxiliar. No início das atividades, somente os mais velhos eventualmente compareciam à Unidade de Saúde para a realização de exodontia e confecção de prótese. Atualmente, 60% dos atendimentos realizados são em crianças menores de 12 anos e, em muitos casos, realizando procedimentos preventivos. Percebemos uma mudança lenta, porem gradativa do que a comunidade entende como assistência odontológica, a nível de prevenção. O atendimento à gestante e ao bebê já é uma realidade. A única maneira de conseguirmos bons níveis de saúde bucal é através do comprometimento dos profissionais da área com a educação, a prevenção e o respeito às especificidades culturais.

SP-71) EVOLUÇÃO DA ODONTOLOGIA NO SERVIÇO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA

Carmen Suely de M. Spanguemberg / Angela Harumi Rondem / Angélica Machado Lindolfo / Clarice Passoni / Clarice Rodrigues da Silva / Elenir Acioly de Souza / Marilza Guilherme Silva / Sheila Fernanda D. Vicente
PREFEITURA MUNICIPAL DE LONDRINA
SERVIÇO MUNICIPAL DE SAÚDE ODONTOLOGIA

A cidade de Londrina hoje pode colher os frutos de anos de investimento no setor de Odontologia – em 1996, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, o índice de CPOD (dentes cariados, perdidos ou obturados), em crianças de 0 a 12 anos, foi de 2,36, abaixo do que é preconizado pela OMS (índice de 3,00).

Os investimentos começaram no ano de 1978 com o atendimento odontológico para crianças de 0 a 6 anos em três creches da cidade.

Em 1980 implantou-se o Plano Incremental para crianças de 6 a 14 anos em treze escolas públicas municipais.

Em 1984, formou-se a primeira turma de técnicos em higiene dental (T.H.D.).

A partir de 1991, houve mudança do Plano Incremental para o atendimento em Unidades Básicas de Saúde, evidenciando o atendimento a bebês e o trabalho educativo junto aos pais, além da permanência da criança no programa até os 21 anos.

A gestante é também atendida antes do nascimento do bebê, com ênfase maior à parte educativo-preventiva além da curativa. O programa de bochecho com flúor (fluoreto de sódio 0,2% semanal) existe há 10 anos e atende atualmente 32.000 escolares no Município.

Continua-se investindo em biossegurança (gorro, óculos e luvas, entre outros), métodos de desinfecção e esterilização recomendados para a Odontologia.

Além disso, o reforço da prevenção é feito através de palestras educativas com a comunidade.

O Serviço Municipal de Saúde conta atualmente com 84 cirurgiões-dentistas, 36 técnicos em higiene dental e 126 auxiliares de odontologia atuando em 33 clínicas instaladas nas Unidades Básicas de Saúde das zonas urbana e rural do Município, além de uma reserva indígena.

O número de atendimentos é alto - 59.372 tratamentos completos e 807.512 procedimentos no ano de 1998 – e tende a aumentar mais com a implantação de novas clínicas no Município, sempre com o objetivo de prestar serviço de qualidade à população.

SP-72) EXPERIÊNCIA EM CIRURGIA ODONTOLÓGICA NO SERVIÇO MUNICIPAL DE SAÚDE EM LONDRINA

HILTON HIDEKI HIRABARA; THAÍS ALESSANDRA COLOMERA

Funcionando desde 1980, o Serviço Municipal de Saúde de Londrina possui atualmente 33 clínicas odontológicas, que atendem cerca de 53.456 pacientes, sendo a faixa etária entre 0 e 21 anos, mensalmente há a entrada de aproximadamente 3.000 pacientes novos. Existe também um programa de atendimento às gestantes que fazem acompanhamento médico nos postos de saúde. A partir de outubro de 1998, iniciamos o atendimento cirúrgico-odontológico em pacientes encaminhados pelas clínicas odontológicas das UBS. Os casos encontrados com maior frequência foram: frenectomia labial, dentes inclusos, raízes residuais, odontomas e lesões de tecidos moles. Apresentamos neste painel alguns casos cirúrgicos realizados dentro deste trabalho.

SP-73) PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE CÁRIE DENTÁRIA NO MUNICÍPIO DE LONDRINA

Cristiane de Andrade Janene Gonini; Eliane Aparecida A. Zampieri; Euterpe Machado Frigeri Barczynsczy; Maria Celeste Morita; Maria Luiza H. Iwakura
Autarquia do Serviço Municipal de Saúde de Londrina

A cárie dentária é uma doença em declínio em diversos países do mundo, particularmente entre adultos jovens e crianças. No Brasil, o fenômeno começa a se delinear, porém são poucos os municípios que possuem informações epidemiológicas suficientes para demonstrar que a cárie vem sofrendo reduções nas últimas décadas. No município de Londrina, foram realizados 5 levantamentos de cárie em crianças na idade escolar de 1981 a 1996 e um levantamento de cárie envolvendo pré-escolares, em 1997. O presente trabalho teve por objetivo traçar um perfil epidemiológico da cárie dentária para o município e, para tanto, foram revisados os dados dos levantamentos de cárie realizados nos últimos 18 anos. Constatou-se que o índice de CPOD aos 12 anos de idade baixou de 6,95 (1981) para 2,36 (1996). O percentual de crianças livres de cárie para a dentição permanente, na idade citada, aumentou de 0,4% para 29,7%. Este quadro provavelmente reflete o resultado de programas de prevenção de cárie, como a fluoretação das águas de abastecimento e o programa de bochechos de flúor em escolares adotados no município há duas décadas. Para crianças em idade pré-escolar, a estimativa rápida de cárie aos 3 anos de idade revelou que 77,9% dos examinados estavam livres de cárie. Aos 5 anos de idade, o índice ceod foi de 1,73, com 53,3% livres de cárie. Estudos pilotos realizados na zona rural, por outro lado, revelaram um percentual de crianças de 6 a 12 anos de idade com CPO=O inferior a 1% e um índice ceod aos 5 anos de idade de 3,52. A discrepância observada entre zona urbana e rural provavelmente reflete a dificuldade de acesso a tratamento odontológico e à ausência de métodos preventivos como fluoretação de água e bochechos de flúor na zona rural.

SP-74) PROGRAMA PARANAVAÍ SORRIA FELIZ

Dr. Clóvis Campos - Dr. Osório Massaaki Ogasavara
Secretaria de Saúde de Paranavaí - 14ª R.S. Setor de Odontologia

APRESENTAÇÃO:

O programa odontologia Paranavaí traça como objetivo a odontologia integral tendo como parceria a secretaria de saúde e a secretaria de educação .

Embora este programa seja desenvolvido para quatro anos de trabalho , como toda medida preventiva , surge a necessidade da manutenção de sua idéia por mais tempo. O odontologia Paranavaí consolida o plano municipal de saúde nas suas propostas que trata de saúde bucal e garante a implementação e reconhecimento do Sistema Único de Saúde - (SUS) na proteção, prevenção e recuperação da saúde dos filhos e trabalhadores brasileiros .

O programa tem consciência da condição sócio-econômica da região , assim como em todo território nacional . Tem consciência ainda dos elementos sociais que determinam o processo saúde doença da população e que sua solução depende do conjunto de ações que melhoram as condições de vida do coletivo.

O programa odontologia Paranavaí visa construir para a valorização do ser humano, através do tratamento, prevenção e educação bucal. Auxiliando com isso, na promoção da saúde que segundo a OMS é o completo bem estar físico, psíquico e social .

FILOSOFIA E PROPÓSITO DO PROGRAMA:

O programa odontologia Paranavaí tem por objetivo a odontologia integral preocupando-se principalmente com as ações preventivas e de educação em saúde bucal, porém sem deixar de levar em consideração as ações recuperadoras para que no final de quatro anos obtenha como resultado a redução do índice de CPO-D no que diz respeito. A dentes cariados e perdidos e consiga criar a consciência de saúde bucal na população de Paranavaí .

SP-75) BARDOU, Fernando José; BIANCO, Iara; COSTA, Sandra Camanho; GOMES, Patrícia Rodrigues; OLIVEIRA, Ana Laura Andrade de; OLIVEIRA, Sônia Prado; ROSSATO, Desireé Mory; SÔNEGO JR, Osvaldo; SPINOLA, Luiz Fernando Batistella; VELLOSO, Ana Maria Guiraldello
SEROD – Secretaria Municipal da Saúde – Prefeitura Municipal de Paulínia – SP.

Introdução:

Paulínia município situado a 118km de São Paulo e com uma população de 47.000 habitantes, até 1973 contava apenas com atendimento odontológico emergencial. Atualmente apresenta vários programas de atenção à saúde bucal, tendo conseguido sensíveis progressos nos indicadores de saúde.

Objetivo:

A apresentação dos diversos programas de saúde bucal do município de Paulínia e seus resultados na promoção de saúde da população, são os objetivos deste trabalho.

Metodologia:

O processo de promoção de saúde bucal foi impulsionado com a fluoretação das águas (1979) e através de convênios com a UNICAMP(1973) e PUCCAMP(1990), nos quais acadêmicos da 4a série da graduação realizam o atendimento aos escolares de 07 a 12 anos, supervisionados por CDs da PMP. A partir de 1992 com a mudança do enfoque assistencial evidenciando-se a promoção de saúde, foram criados programas preventivos para faixas etárias específicas: Gestantes, Mãe-bebês, Bebês (0 à 03 anos), Pré-escolares (03 a 06 anos), Escolares (07 à 12 anos), Adolescente (13 à 19 anos), Adultos e Programas Especiais(Hospital Municipal, APAE, Saúde em Casa), realizados por mini-equipes (CDs, ACDs e THDs).

Resultados:

Como resultados destas iniciativas destacam-se elevados níveis de cobertura da população e progressos nos índices de saúde: CPOD (aos 12 anos) 1984=8,2; 1994=3,0; 1998=1,4; ceo (pré-escolares) 1993=3,07; 1994=2,6; 1997=1,73.

Conclusão:

A instituição de programas preventivos propiciou sensíveis melhorias na saúde da população e uma maior abrangência de atendimento. O intercâmbio com as Universidades e a utilização de pessoal auxiliar, foram preponderantes para os progressos alcançados.

SP-76) PREVENÇÃO DE CÂNCER BUCAL EM SANTA BÁRBARA D'OESTE: QUATRO ANOS DE ATIVIDADES

TOTTI V, JORGE J, ALMEIDA OP, LOPES MA, GRANER E.
Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp e Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste

O programa de detecção precoce e prevenção de câncer bucal da prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste - SP está em funcionamento desde maio/95 e visa, além dos objetivos já citados, o atendimento aos pacientes com lesões bucais da rede pública municipal. Os pacientes são convidados a participarem através de rádio, jornal e carta e o atendimento é feito por CD e auxiliar no Centro de Saúde da cidade, utilizando-se também de equipo simplificado instalado em feiras e locais de concentração de pessoas. As atividades são suportadas por docente da FOP/UNICAMP, onde são realizadas radiografias e laudos histopatológicos. Até março/99 foram atendidas 3318 pessoas, 67,8% com mais de 40 anos, em 14.390 consultas e realizadas 1490 biópsias e cirurgias. Das lesões, 275 eram malignas e 13 eram carcinomas intrabucais, 4 detectados precocemente (T1NOMO), além de 24 carcinomas de lábio, 160 carcinomas basocelulares, 43 carcinomas espinocelulares, já tratados e em acompanhamento, inclusive 53 casos de leucoplasias e 24 líquens planos. Foram detectadas outras lesões como 4 melanomas, 1 Síndrome de Melkerson-Rosenthal, 1 fibrohistiocitoma maligno, 6 paracocciodiodomicose, 4 HIV positivos, 1 leishmaniose e 1 sífilis. Interconsultas foram utilizadas junto as especialidades de dermatologia, otorrino e infectologia. O programa destaca-se pela ação contínua e considera o indivíduo de maneira integral, trabalhando em sinergia com especialidades médicas, investindo na formação de pessoal e interagindo com a própria rede de saúde local.

SP-77) ÍNDICE EPIDEMIOLÓGICO DE CÁRIE EM DENTIÇÃO PERMANENTE – CPOD. DEMONSTRATIVO DE UM E DOIS ANOS APÓS A INSTITUIÇÃO DO PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL, SANTA ROSA-RS,1999.

Ronald Schaly e Marisa Hatwig
Instituição: Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa – FUMSSAR

Introdução:

A evolução da política de saúde do município de Santa Rosa, proporcionou um avanço no nível de decisão , principalmente a partir da gestão semi-plena em 1994. Assim, houve uma preocupação em avançar nas questões associadas a saúde geral , neste contexto inclui-se a odontologia. A nomeação de cirurgiões-dentistas com dedicação exclusiva em 1996, permitiu que se pensasse em estratégias para a melhoria dos índices epidemiológicos, especialmente o CPOD. Objetivos. Demonstrar a evolução do índice de cárie (CPOD) nos distritos sanitários Cruzeiro e Auxiliadora, do município de Santa Rosa, RS, após o início do programa de saúde bucal, em relação a dados pré-existentes do ano 1993. Metodologia. O índice CPOD foi obtido no decorrer do atendimento clínico dos escolares da rede pública ao longo dos anos de 1997 e 1998, totalizando 816 e 1108 crianças respectivamente, na faixa etária de 6 a 12 anos. Os dados de 1993 foi representativo estatisticamente da população escolar da época. Resultados: a tabela mostra o CPOD dos anos 1993, 1997 e 1998, na faixa etária de 6 a 12 anos, nos sanitários Cruzeiro e Auxiliadora, do município de Santa Rosa, RS.

Conclusão:

Os resultados mostram uma queda do CPOD em relação a 1993. A análise anual servem para avaliar o impacto das ações e embasar programações futuras do serviço de saúde.

SP-78) MANIFESTAÇÕES CRIATIVAS RELACIONADAS À SAÚDE BUCAL EXPRESSAS POR ALUNOS DE 1ª A 5ª SÉRIE EM DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DE SANTA ROSA, RS.

Marisa Hatwig e Ronald Schaly
Instituição: Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa – FUMSSAR

Introdução:

A atenção odontológica, na sua visão mais ampla não se limita apenas a ações curativas dentro do consultório odontológico. Pode ser feita também com outros sujeitos trabalhando em outros ambientes. A escola, juntamente com seus alunos e seus mestres, propicia um ambiente em que ações educativas no sentido do auto cuidado se tornam fundamentais. Deste modo, quando se propicia à criança a expressão dos seus sentimentos e seu entendimento das questões ligadas a odontologia, pode se traçar estratégias de intervenção e adequar ações nesta área. Objetivos: propiciar atividades criativas relacionadas a odontologia no ambiente escolar e estimular o envolvimento dos escolares e professores nas atividades odontológicas. Metodologia: foi realizado um concurso em duas escolas públicas, nas quais as crianças de 1ª a 5ª série foram estimuladas a elaborar histórias ou redações a partir de um desenho. As escolas envolvidas foram a Escola Municipal de 1º Grau Incompleto Pedro Speroni e a Escola Estadual de 1º e 2º Graus Cruzeiro, em Santa Rosa, RS. Resultados: os resultados serão apresentados através da seleção de algumas das histórias e redações vencedoras do concurso, juntamente com os desenhos e fotografias. Conclusão: as atividades junto aos escolares e professores propiciaram um maior envolvimento dos mesmos junto ao serviço de saúde e permitiu avaliar a percepção e o potencial criativo dos alunos. Nas séries iniciais os aspectos relacionados a higiene, o medo, entre outros, estão presentes. Já na pré-adolescência o aspecto da condição bucal é ressaltada como muito importante na aparência física.

SP-79) DENTAL SANITARY CARD OF TUNISIA

B. JEMMALI-JMOUR
S. KHOUJA, H.D. ZEGHDANE, F. MAATOUK
Monastir Dental School – Tunisia

Summary:

Tunisia is situated in North Africa and has got the promotion of the bucco-dental health required the elaboration of a well structured national program based on the study of the health indication fluctuations. This is indispensable to judge the efficiency of our action and to assess our needs in the health filed.

The aim of this study is precisely to analyze the dental health system in Tunisia and to see if we can reach the World Health Organization (WHO) fixed objectives for the year 2000. We report in Tunisia that:

Dental caries affecting the Tunisian child 1 out 2 in urban areas, 1 out 3 in rural ones. 70% of private practitioners deal with 25% of the people.

In the public sector: Sousse: 32 dentists for 17 units; Le Kef: 5 dentists only for 6 units.

Tunisian women generally opt in favor the public profession.

Qualified specialists are 1 dentist/7870 inhabitants.

An awareness of the problem is necessary to improve the services mainly for the child. Prevision of the creation of basic health centers (15 per year) to cover the needs and reestablish the aberrations between dentists' number of inhabitants/ chairs and inhabitants/units and dentists.

SP-80) DETECTION OF THE TEMPOROMANDIBULAR DESORDERS AT A TUNISIAN POPULATION

DHIDAH M.& MDHAFFAR H.
University of Dental Medicine of Monastir (Tunisia)

Our days, for the occlusodontologists, patients affected by dysfunctions of the temporomandibular joint, present a large number that does not cease to increase.

Indeed, epidemiologic studies led in several European countries (Sweeden, France, Belgium..) and to USA, have shown the high prevalence of the craniomandibular dysfunctions (75% of the examined population presents one sign of join dysfunction).

Tunisia, north - African country, has not escaped to this evolution and we see in our consultations a number increasingly important of patients that complain pains and/or dysfunction in muscles or tempormandibular joint.

For this reason, we have led an inquiry of tracking of TMD at a population of 1000 patients taken at random among persons coming to consult to the dental clinic of the Dental Medicine School of Monastir, for reasons other that musculo-articular problems.

A clinic form has been filled for each patient in search of signs and symptoms evoking a temporomandibular desorder.

Our results, classified according to the degree of suspicion of TMD (weak, means, fort), show a predominance of the strong suspicion at old subjects of 20 to 40 years with a discrepancy between rate of signs and symptoms.

It concerns a preliminary study for detection of temporo-mandibular desorders that will be completed by a specific examination for suspected patients to precise diagnosis, allowing thus to evaluate real needs in processing.

SP-81) ERRADICACION DE LA CARIES DENTAL : "UNA EXPERIENCIA DE 20 AÑOS "

DRA. NORA CHAVES QUIROS
UNIVERSIDAD DE COSTA RICA (U.C.R.), FACULTAD DE ODONTOLOGIA

INTRODUCCION:

En 1979, la Facultad de Odontología, U.C.R., se planteó la estructuración de los Programas Comunitarios como innovación, de manera que el estudiante de sexto año planificara y realizara sus actividades clínicas en un ambiente real. Dado que Palmares presentaba las condiciones de ser una comunidad organizada, solidaria y deseosa de tener salud, la U.C.R. inició el Programa Interdisciplinario de Atención Primaria para la Salud Oral.

OBJETIVOS:

Involucrar a los estudiantes de sexto año y otros en docencia, servicio e investigación dentro de un concepto integral de salud.

Medir el impacto y los resultados de las acciones sobre la población, considerando la caries dental como enfermedad trazadora.

Comprender y visualizar la importancia de la participación popular dentro de un concepto integral de salud. Promover, mantener y fortalecer el nivel de salud oral en los niños escolares.

METODOLOGIA:

La actividad se enfoca en 10 Centros Educativos de zona rural , utilizando una clínica móvil simplificada que rota mensualmente, se promueven y se brindan tratamientos, enfatizando la importancia de la salud oral.

RESULTADOS:

1980: C.P.O. de 10 / 1985: C.P.O. de 5.09/1991: C.P.O. de 2.33. / 1988: se inicia la aplicación rutinaria de sellantes de fosas y fisuras en piezas posteriores./ 1995-1998: Gracias a la efectividad de los sellantes no se presentaron exodoncias y las pocas caries detectadas fueron incipientes y poco agresivas.

CONCLUSION:

Después de 20 años de ejecución del Programa, se demuestra que la U.C.R. y la comunidad organizada pueden mantener una excelente salud oral a bajo costo y gran beneficio.

SP-82) A COMUNIDADE E A ODONTOLOGIA NO SUS: O QUE ESPERA, PORQUE PROCURA E ONDE BUSCA?

Fabiana C. dos S. Schuh; Leandro R. Brandt; Christian Schuh; Paulo do P. Funk.
UPF – Universidade de Passo Fundo, RS.

Com a criação do Sistema Único de Saúde na Constituição Brasileira de 1988, surge no decorrer dos anos o Programa de Saúde da Família (PSF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS), com objetivos principais de promover, proteger e recuperar a saúde dos indivíduos e da família, desde os recém-nascidos até os idosos, saudáveis ou não, de forma integral e contínua. Sendo uma das funções do Agente Comunitário de Saúde (ACS) a motivação da comunidade para a discussão, planejamento e definição de prioridades na área de saúde , o presente trabalho procurou, através dos ACS do município de Carazinho-RS, ouvir a comunidade sobre aspectos referentes a inserção da Odontologia no SUS, com os objetivos de a) saber o que a população espera da atenção odontológica, b) quais os motivos que a levam a procurar um atendimento bucal e c) qual o local de procura para o atendimento odontológico. A metodologia utilizada foi através de questionário com respostas abertas, entregues aos ACS. As respostas, num total de 107, foram entregues ao Coordenador da Saúde Bucal do Município; número muito aquém do total de famílias envolvidas no PSF. Foram avaliadas para verificar qual o posicionamento dessas famílias frente a atenção odontológica existente. Os resultados encontrados foram: 71,94% das famílias pesquisadas espera um atendimento odontológico mais humano; o principal motivo que as levam a procurar um atendimento é de caráter preventivo, 56,06%; e o local no qual mais se busca o serviço odontológico são os Postos de Saúde, 49,52%. Pode-se concluir que a maioria da população pesquisada, procura o serviço municipal, com o intuito de preservar seus dentes, esperando um atendimento mais pessoal, digno, ou seja, humanizado.

SP-83) ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

PROFESSORA MARILENE DA CRUZ MAGALHÃES BUFFON
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – UFPR

O Programa de Saúde da Família (PSF), representa uma estratégia para efetivar os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), com equipes de saúde preparadas para compreender e atuar no binômio saúde/doença, compartilhando responsabilidades com a comunidade e os indivíduos. Em parceria com a UFPR, este modelo assistencial busca desenvolver ações de promoção da saúde, prevenção, tratamento, reabilitação do indivíduo, da família e da comunidade.

No campo do ensino aprendizado é proporcionado ao acadêmico do 7º período do Curso de Odontologia, através da Disciplina Odontologia Social e Preventiva II, a oportunidade de contato, do futuro profissional da área de saúde , com a realidade do serviço público, seus programas de atenção básica, como também fazê-lo conhecer a realidade da condição de vida da população e seus agravos à saúde; perceber a importância do levantamento das necessidades para as ações de vigilância à saúde e vigilância epidemiológica como base de quebra no processo saúde-doença.

O trabalho é desenvolvido em Unidades de Saúde do Município de Curitiba que mantém o Programa de Saúde da Família, com resultados altamente positivos, para Acadêmicos, Serviços de Saúde e Comunidade.

SP-84) ACADÊMICOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA E OS PACIENTES ESPECIAIS

PROFESSORA MARILENE DA CRUZ MAGALHÃES BUFFON
ACADÊMICOS: RENATA P.L.PACCINI e OTÁVIO MARTINS RIBEIRO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

O Curso de Odontologia da UFPR, reconhecido em 1938, não apresenta ainda, em seu currículo a Disciplina de Pacientes Especiais, por isso, para atenuar essa deficiência, a Disciplina de Odontologia Bucal e Preventiva II desenvolve, com um pequeno grupo de acadêmicos, um trabalho de aprendizado e conscientização junto a um grupo de pacientes especiais, mais especificamente crianças portadoras de síndrome de Down, autismo, paralisia cerebral, etc. Este aprendizado (estágio) ocorre na APAE, onde o acadêmico deverá evidenciar as características principais de cada anomalia, suas manifestações bucais, gerais e seu comportamento característico para que como futuro profissional, além de saber exatamente como atuar, possa ter uma postura correta e abordagem adequada.

De um modo geral os pacientes excepcionais são inquietos, apreensivos e assustados, até mesmo por saírem de suas rotinas e freqüentarem o consultório odontológico, entretanto um bom número deles é dócil e cooperativo. Os procedimentos preventivos neste grupo ganham ênfase maior devido às dificuldades para tratamento curativo nestas crianças, portanto o uso de selantes, flúor, profilaxia, controle de placa e escovação supervisionada deverão ter uma freqüência maior do que em um grupo de crianças sem essas características.

Esta experiência trouxe ao grupo de acadêmicos a certeza de que o profissional, para atender a esta clientela específica, deverá ter, além de uma extrema competência técnica e de habilidade, muito amor ao trabalho, paciência e dedicação.

SP-85) APOIO À PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DA SAÚDE NO MUNICÍPIO DE MORRETES

PROFESSORA MARILENE DA CRUZ MAGALHÃES BUFFON
ACADÊMICOS: CLAUDIA SERQUEIRA, CRISTIANE TANAKA,
MARIA HELENA FAUSTINO DE OLIVEIRA e DANIEL BUNLAY
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

O Município de Morretes distante cerca de 100km de Curitiba, apresenta 70% da sua população localizada na área rural do município. Sua população periférica não dispõe de recursos de saneamento básico adequado nem assistência médica eficaz, ficando esta responsabilidade às atendentes dos minipostos de saúde rurais, sendo 6 ao todo.

Diante desta realidade, Acadêmicos do Curso de Medicina, Enfermagem e Odontologia através de um Projeto de Extensão Universitária/UFPR em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Morretes, consolidam de forma participativa, um processo de educação à saúde bucal e geral, com adultos e crianças, levando a abordagem de temas relativos às principais doenças da população e suas formas de prevenção.

Atualmente o enfoque principal do projeto está sendo para a capacitação dessas Atendentes de Saúde , como também das Agentes Comunitárias de Saúde com este aprimoramento; o projeto inclui a perspectiva de melhoramento nos Postos de Saúde contribuindo para a promoção da saúde com melhor qualidade de vida no Município de Morretes.

SP-86) PRIMEIRO LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PALHANO- CEARÁ

Lizaldo Andrade Maia; Luciene Andrade Maia
Fundação Nacional de Saúde - CE
Secretaria de Saúde do Estado do Ceará

Palhano é um dos 60 municípios do Ceará que implantou o Projeto ‘Construção dos Modelos Locais de Saúde Bucal’. Coordenado pela Divisão de Saúde Bucal da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará e assessorado pela Consultoria Estação Saúde (MG), que tinha como objetivo mudar o quadro bucal da população.

No segundo semestre de 1997, o município realizou o primeiro levantamento epidemiológico de cárie dental (CPOD) e de necessidade de tratamento periodontal.

A metodologia adotada neste levantamento foi a da OMS, com algumas modificações. Os critérios de classificação de cárie dentária foram: superfície hígida, lesão incipiente (mancha branca sem cavitação), lesão com mini- cavidade (presença de cavitação até o diâmetro de uma broca ½) e lesão com cavidade. Vale ressaltar que a lesão incipiente, reversível, não compõe o CPOD.

Os critérios para a classificação da doença periodontal foram: CPITN –0, sextante sadio; CPITN – 1, sextante com sangramento gengival; CPITN –2, sextante com presença de cálculo; CPITN –3, sextante com bolsa de 4 a 5 mm à sondagem; CPITN- 4, sextante com bolsa maior do que 5 mm.

Tabulados os resultados da amostra de 1174 crianças, de 5 a 14 anos, chegou-se a um CPOD médio de 4,42 aos 12 anos, considerado pela OMS uma moderada prevalência de cárie. Com relação à doença periodontal, 60% da amostra apresentou CPITN –0, e 38% CPITN – 1 e 2, cujo tratamento é orientação de escovação e raspagem, que podem ser feitos pela THD.

SP-87) CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DO 1º LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI, RJ

Mônica Villela GOUVÊA e Marcos Antônio de Albuquerque SENNA
Fundação Municipal de Saúde de Niterói e Pós-Graduação em Odontologia Social/ UFF

No período de março à junho de 1998, foi realizado o 1º levantamento epidemiológico em saúde bucal do município de Niterói, com o objetivo de obter diagnóstico e necessidades de tratamento de cárie dentária em escolares de 06 e 12 anos. Neste processo, encontrou-se uma série de dificuldades que exigiram soluções específicas e muitas vezes imediatas. Este trabalho teve como objetivo discutir estas dificuldades, documentando-as de forma que pudessem servir de subsídio para futuros levantamentos epidemiológicos. Para tanto, baseou-se nos relatos dos componentes das equipes e coordenadores técnicos, nos diários de campo confeccionados pelos examinadores após a realização dos exames em cada escola e na reunião final de avaliação do processo. As principais dificuldades detectadas se referiram às etapas de elaboração de proposta de trabalho, sensibilização da secretaria de saúde, formação da equipe e sistemática de calibração, definição do universo amostral, obtenção de recursos materiais, contatos com as escolas , tabulação e análise dos dados. Realizou-se uma discussão das soluções encontradas para tais problemas. Concluiu-se que em todo o processo foram fundamentais: 1) a integração com a Pós-graduação em Odontologia Social da Universidade Federal Fluminense , pelo apoio teorico-metodológico e; 2) o apoio da Superintendência de Atenção Ambulatorial e Coletiva da Fundação Municipal de Saúde onde se insere a coordenação de Saúde Bucal do município na viabilização do projeto e ativa participação na solução de dificuldades. Concluiu-se também que as maiores dificuldades estiveram relacionadas a aspectos inerentes a setores externos à superintendência citada. Isto apontou para a necessidade de se buscar uma integração com estes setores, envolvendo-os desde o planejamento do trabalho.

SP-88) O SUS E O CIRURGIÃO DENTISTA NO MUNICÍPIO DE NITERÓI, RJ

Mônica GOUVÊA, Marcos SENNA, Jorge HURST, Luís HUBNER
Fundação Municipal de Saúde de Niterói e Pós-Graduação em Odontologia Social/ UFF

O Sistema de Saúde Pública brasileiro acumulou avanços significativos nos últimos anos. Princípios e diretrizes consagrados na constituição de 1988, nortearam a base legal que deu início à construção do sistema de saúde - SUS. No entanto observa-se que os avanços propiciados pela criação deste sistema não foram homogêneos em todos os campos. Especialmente a Odontologia tem sentido dificuldades com relação à inserção de sua prática nestas diretrizes. Este trabalho objetivou conhecer a opinião de cirurgiões-dentistas da Fundação Municipal de Saúde de Niterói sobre o sistema de saúde vigente, procurando avaliar sua prática com relação a três princípios: integralidade, hierarquização e regionalização. Para tal trabalhou-se com o universo dos 50 profissionais em atividade lotados nas unidades básicas de saúde, realizando entrevistas semi-estruturadas. Os profissionais foram entrevistados em seus próprios locais de trabalho, no período de 1 a 30 de março de 1998. Verificou-se que para os entrevistados a população usuária não tem noções dos princípios do SUS sendo que para estes, os conhecimentos seriam importantes principalmente para possibilitar maior resolutividade ao serviço. Os profissionais avaliaram que a odontologia ainda não se inseriu adequadamente no Sistema. Com relação à aplicabilidade dos três princípios em suas práticas nas unidades de saúde, observou-se que apenas uma parte dos entrevistados relacionaram práticas efetivas relativas à integralidade. No que diz respeito à hierarquização, as unidades foram ressaltadas como porta de entrada do usuário no sistema. No entanto, foram evidenciadas as dificuldades do usuário no acesso a serviços de maior complexidade na rede. Maiores dificuldades foram citadas com relação a aplicação do princípio de regionalização uma vez que os entrevistados avaliaram que não conseguem suprir as necessidades da população adscrita em função de grande demanda nas unidades. Verifica-se que os profissionais reconhecem a importância do SUS, mas não consideram que a Odontologia esteja adequadamente inserida no sistema. Conclui-se que para os entrevistados, as dificuldades com relação à aplicação na rede (Odontologia) dos princípios de hierarquização e regionalização não são inerentes à prática do profissional, competindo à própria rede sua resolução. Apenas o princípio de integralidade deixa de ser aplicado em sua totalidade em função do desconhecimento da amplitude do conceito, o que aponta para a necessidade de um reforço periódico junto aos profissionais da rede.

SP-89) PREVENÇÃO E CONTROLE DO CÂNCER BUCAL NO MUNICÍPIO DE NITERÓI - RJ

Marcos Antônio de Albuquerque SENNA e Mônica Villela GOUVÊA
Fundação Municipal de Saúde de Niterói e Pós-Graduação em Odontologia Social/ UFF

O município de Niterói com oito anos de municipalização da Saúde, tem procurado integrar as atividades programáticas no campo da Odontologia. Neste sentido, o câncer bucal é motivo de preocupação uma vez que dados epidemiológicos apontam para um crescimento na incidência dessa neoplasia (INCA/1996), e o diagnóstico tardio dificulta a cura, podendo gerar deformidades e levar ao óbito. Assim, este trabalho objetivou inserir atividades de prevenção e controle do câncer bucal na rotina das Unidades Básicas de Saúde do Município. Para tanto buscou-se uma integração entre a Coordenação de Saúde Bucal, e os cursos de pós graduação em Odontologia Social e Patologia Buco-dental da Universidade Federal Fluminense. Neste processo odontólogos das unidades de saúde participaram de um treinamento teórico-prático direcionado a uma abordagem etiológica e histopatológica de lesões cancerizáveis, à aspectos preventivos e educativos e à atividades práticas de remoções de lesões em animais. A partir do treinamento, todas as Unidades Básicas passaram a realizar exame cuidadoso e diagnóstico de lesões suspeitas. Estes casos são então, encaminhados para oito unidades selecionadas como referência para o câncer bucal, as quais estão estrategicamente distribuídas pelas cinco macroregiões do município.Estas unidades foram equipadas com material específico que passou a fazer parte da rotina de compras da Fundação Municipal de Saúde. Conclui-se que a partir do treinamento pôde-se viabilizar a implantação de uma rotina de controle e prevenção do câncer bucal, embora reconheça-se a necessidade de atualização periódica dos conceitos junto aos profissionais da rede. Detectou-se também dificuldades com relação ao sistema de referência e contra-referência. O trabalho apontou para a necessidade de se buscar integração com o Instituto Nacional do Câncer - INCA, centro de maior complexidade no que diz respeito à neoplasias, visando subsidiar a rede para maior resolutividade dos serviços.

SP-90) FREQUENCY OF DAMAGED AND MISSED FIRST MAXILLARY PICUSPID IN TUNISIA: APPROPRIATE PROSTHODONTIC SOLUTIONS

CHERIF Mounir, SAAFI Jilani and HAJJAMI Hayet
Prosthodontic Department. Dental School . MONASTIR / TUNISIA

Poster’s abstract :

Authors presented results of survey conducted in Dentistry Department of SOUSSE’s hospital and Prosthodontic Department of Dental School in MONASTIR (TUNISIA).

The aim of the study was to evaluate the prevalence of damaged and missed first maxillary bicuspid.

200 subjects 21 to 50 years-old from different socio-economic level of tunisian population were chosen.

The most frequent cases of damaged or missed first maxillary bicuspid were presented with their prosthodontic solutions.

SP-91) ANÁLISE DA BACTEREMIA EM PACIENTES VALVULARES SUBMETIDOS A TRATAMENTO ANTIBIÓTICO PROFILÁTICO PARA PREVENÇÃO DA ENDOCARDITE APÓS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

Ricardo Manrique; Eliete Corrêa Carvalho, Maria Barbosa da Silva; Lília Timerman; Valéria Cristina Leão de Souza.
Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia

RESUMO: A endocardite bacteriana resulta da fixação e multiplicação de microorganismos durante um período de bacteremia, no endotélio danificado das válvulas cardíacas. Existem fatores predisponentes como cardiopatia reumática, cardiopatias congênitas, válvula protética, prolapso da válvula mitral, abuso de drogas, manipulação cirúrgica ou dentária que provocam essa ocorrência. Com o objetivo de diagnosticar a presença de bacteremia, foi utilizada a técnica de Citobacteriomonitorização (CBM), em 50 pacientes cardíacos valvulares antes e depois de submetidos à extração dentária(exodontia) e raspagem gengival (periodontia), tratamento de canal radicular (tratamento endodôntico) e remoção de tecido careado (restauração), no período de 03/02/97 a 02/05/98. Todos foram submetidos à profilaxia antibiótica, com a administração oral de Amoxicilina 500 mg (2 gramas), 1 hora antes da manipulação odontológica. Foi realizado um acompanhamento individual desses pacientes durante os 3 meses que se seguiram. Durante este tempo não foi diagnosticada qualquer complicação ligada a endocardite infecciosa. A análise da bacteremia foi eficaz, com 100% de prevenção. O trabalho serviu para confirmar a importância da profilaxia na prevenção da endocardite.

SP-92) PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL

KÁTIA PEREIRA MILHOMEM
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

O nosso programa de saúde bucal foi criado em 1.994. Iniciou-se com um (01) odontólogo e um (01) consultório. Temos hoje nove (09) consultórios e 12 (doze) odontólogos, onde cinco (05) consultórios estão instalados nas escolas municipais, um (01) consultório em uma creche, um (01) consultório móvel, um (01) consultório em um hospital púlblico, e um (01) consultório somente para prótese em um centro de saúde.

Temos como objetivo diminuir o índice de cárie dos escolares e da população em geral; melhorando assim a qualidade de vida dos cidadãos deste município.

Realizamos principalmente um programa de saúde bucal escolar. Neste programa executamos o trabalho preventivo e curativo. O preventivo atinge hoje vinte e oito (28) escolas da rede municipal, onde são feitas palestras educativas, bochechos com flúor e escovação. O curativo é executado nos cinco (05) consultórios implantados nas escolas maiores e no odontomóvel que circula nas escolas menores. Os demais consultórios atendem a população em geral.

Do início do programa até hoje, conseguimos uma redução de aproximadamente 70% do índice de cárie escolar e uma redução considerável do índice de cárie da população e do número de desdentados.

Entendemos a importância da saúde bucal do cidadão, queremos divulgar o nosso trabalho e conscientizar a todos os municípios a necessidade da implantação deste projeto.

SP-93) SORRISO – UM DESAFIO PARA O NOVO MILÊNIO

AUTORA – APRESENTADORA: NILDA MARIA SILVA REIS
INSTITUIÇÃO: FNS / SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SORRISO – MT / SECRETARIA DO ESTADO DE SAÚDE

RESUMO DO TRABALHO:

Sorriso é uma cidade com 13 anos de emancipação político administrativo; com atendimento odontológico em saúde pública a partir de 1990, com apenas uma dentista. Atualmente temos 08 (oito) profissionais atuando nesta área, desenvolvendo os seguintes programas: bebê clínica, assistência ao escolar, gestantes, idosos, PSF (em implantação) e assistência emergencial ao adulto.

Este trabalho visa apresentar a avaliação dos resultados obtidos no setor de odontologia no município de Sorriso/MT e mostrar o que está sendo feito a fim de melhorar estes resultados, buscando atingir as metas propostas pela Organização Mundial de Saúde, para o próximo milênio.

A avaliação foi feita através de uma análise dos levantamentos Epidemiológicos realizados com escolares nos anos de 1991 e 1999 e com crianças de 0 a 05 anos, participantes do programa bebê clínica, nos anos de 1997 e 1999.

Em relação as crianças de 0 a 05 anos, nota-se menores índices de Cáries aos 02 e 03 anos e aumento destes índices aos 04 e 05 anos, em 1999. O levantamento mostra também que só 10% das crianças escovam os dentes após as principais refeições e apenas 6% não amamentam a noite. Nos escolares, algumas escolas que apresentam índice CPOD aos 12 anos igual a 7.0 e 8.4 em 1992, apresentaram em 1999, índices de 3.8 e 4.3, respectivamente.

Os resultados alcançados mostram uma boa redução dos índices de 1992 para 1999, mas não são ideais, bem como a participação das mães mensalmente no Programa de bebês.

SP-94) PROGRAMA BOCHECHO COM FLÚOR

Autor: Amarante, M. L.
Serviço de Odontologia
Secretaria de Estado da Saúde do Paraná

Devido aos altos índices de cárie dental, na faixa etária do escolar, na década de 70 e tendo como modelo os programas de prevenção dos países Escandinavos, foi implantado nas escolas da rede pública do Estado do Paraná, o "Programa Bochecho com Flúor", sendo este uma das atividades do Programa Saúde Escolar. Este programa foi implantado em outubro de 1980.

Atualmente o bochecho é realizado semanalmente nas escolas primárias da rede pública, abrangendo cerca de 1.000.000 (um milhão) de crianças anualmente, com a média de 30 bochechos criança/ano e com um custo de cerca de R$ 82.000,00.

Os levantamentos realizados nas escolas mostraram que o CPOD baixou significativamente, mesmo nas cidades onde não havia água fluoretada.

O Programa leva ainda a "Educação para a Saúde Bucal" o que tem contribuído para a conscientização da população quanto aos cuidados com os dentes.

SP-95) FLUORETAÇÃO DA ÁGUA DAS REDES DE ABASTECIMENTO PÚBLICO, NO ESTADO DO PARANÁ

Autor: Kriger, L.
Departamento de Saúde Bucal
Secretaria de Estado da Saúde do Paraná

É sabido que o flúor, quando administrado através da água interfere na redução da cárie dentária.

Avaliou-se a implantação e os resultados do Programa de Fluoretação da água das redes de abastecimento público, no Estado do Paraná. O período analisado foi de 1959 a 1998 dentro do qual houve uma expansão gradativa da abrangência do programa, incluindo a capital do Estado e outros municípios.

O índice utilizado para avaliar a eficácia do programa foi a determinação do CPOD nas crianças de 12 anos.

O controle da fluoretação em todos os municípios está sendo realizado mensalmente, em parceria firmada entre a Secretaria de Estado da Saúde e a SANEPAR (Companhia de Saneamento do Paraná).

SP-96) ATENÇÃO PRECOCE EM SAÚDE BUCAL NO ESTADO DO PARANÁ.

Kriger, L.*

A atenção precoce em Odontologia tem mostrado resultados positivos, possibilitando que, através da educação e da prevenção, seja possível manter a saúde bucal nos primeiros anos de vida.

Com o objetivo de manter a saúde bucal e reduzir as necessidades futuras de tratamento, a Secretaria de Estado da Saúde , em parceria com os municípios, implantou um programa de atenção precoce, cujos resultados já começam a aparecer.

Através da capacitação de profissionais, indicados pelos municípios,na Bebê Clinica, em Londrina e a cessão de macris ( maca para atendimento de bebês), foram implantados 212 programas de atenção precoce em saúde bucal no Estado do Paraná.

O propósito deste trabalho é o de analisar a implantação dos programas nos municípios, buscando as alterações necessários e servindo de base para a continuidade do mesmo, com o treinamento de novos profissionais e a expansão para outros municípios.

*Assessor Especial da Política de Saúde Bucal da Secretaria de Saúde do Paraná.

SP-97) SAÚDE BUCAL NÃO TÊM IDADE - ATENDIMENTO A IDOSOS

Kriger,Leo; Jitomirski,Fanny

Este é o ano Internacional do ldoso. Uma das prioridades é o desenvolvimento de ações voltadas à melhoria da Saúde Bucal em pessoas acima de 65 anos. Estudo piloto realizado pela Secretaria Estadual da Saúde do Paraná comprovou que praticamente inexiste o atendimento odontológico em asilos. Este fato levou a SESA /PR a desenvolver um trabalho em conjunto com a Secretaria da Criança e Assuntos da Família/Programa Estadual de atenção ao Idoso, em que participam 57 Secretarias Municipais de Saúde, prestando atendimento a 62 asilos conveniados.

Inicialmente foi realizado um levantamento epidemiológico em 1.735 idosos institucionalizados. Nesta abordagem obtemos dados significativos quanto ao número de idosos com pelo menos 3 dentes naturais, tipo de higiene dos dentes e próteses, número de idosos edêntulos com e sem próteses totais, número de lesões bucais encontradas e necessidade de tratamento.

Analisar as perspectivas de desenvolvimento de ações voltadas à melhoria da saúde bucal desta população é uma das metas deste projeto.

SP-98) UM PROCESSO EDUCATIVO PARA PRESERVAR A OCLUSÃO DENTAL NORMAL

LEONOR SERAPHIM

Introdução

Os métodos preventivos tornam-se cada vez mais indicados diante da desproporção entre recursos e necessidades da comunidade.

O objetivo de prevenir as maloclusões dentais, visa atingir a população infantil, sem despesas, já que a maioria desta população é carente.

A metodologia é simples e econômica; realizada inicialmente com um levantamento epidemiológico de maloclusões dentais incipientes e em potencial nas crianças escolares e de creches, para seguir aplicar um processo educativo com a parceria dos professores destas crianças.

Os resultados tem sido animadores para a continuidade do processo educativo, já que sua aplicação tem produzido mudanças de comportamento nas crianças.

Conclusão: há necessidade de maior divulgação do processo educativo e maior aplicação em extensão e em profundidade para beneficiar todas as crianças.

SP-99) "SORRIA PARA MIM" – CONSOLIDAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS COLETIVOS

Dra. Eliete de Oliveira Coelho, Dra. Isabel Cristina Mônaco, Dra. Ana Paula de Camargo, Maria Cristina Alves de Siqueira.
Prefeitura do Município de Itatiba - Secretaria da Saúde e Promoção Humana.

Com a introdução, em 1992, dos Procedimentos Coletivos na tabela de financiamento dos serviços odontológicos prestados pelo Sistema Único de Saúde, ocorreu uma valorização das atividades preventivas, incentivando uma mudança de filosofia no sistema odontológico público. O objetivo deste painel é divulgar a consolidação dos Procedimentos Coletivos e suas implementações, como um modificador na condição de saúde bucal da população.

As ilustrações representam as atividades desenvolvidas através do programa denominado "Sorria para Mim", junto aos escolares da rede municipal de ensino infantil e fundamental, APAE e SENAI (cerca de 9900 cadastrados), planejadas e executadas por uma equipe composta por 08 Cirurgiões Dentistas, 01 fonoaudiólogo e 06 atendentes de consultório dentário. Durante alguns anos o enfoque do programa foi dado pela terapêutica com flúor. Hoje, , conceitos sobre o risco individual à cárie direcionam esta terapêutica, e a ênfase do programa está na educação continuada em saúde, capaz de modificar hábitos. Os resultados expressos nas tabelas mostram uma redução no índice de cárie, influência nos hábitos de higiene bucal e um envolvimento de educadores e pais , de fundamental importância para o processo de construção do conhecimento, consolidando uma filosofia de promoção de saúde.

SP-100) A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO SECUNDÁRIA EM SISTEMAS MICRORREGIONAIS DE SAÚDE – RELATOS DA EXPERIÊNCIA DOS CENTROS ESPECIALIZADOS DE ODONTOLOGIA DO CEARÁ: A REFERÊNCIA AO DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS E PERSPECTIVAS DA INTEGRALIDADE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/SUS.

CLÉLIA MARIA NOLASCO LOPES; CARLOS AUGUSTO NOLASCO LOPES
SECRETARIA DA SAÚDE DO CEARÁ/SESA

A municipalização que se dá com o Sistema Único de Saúde/SUS já produz resultados concretos: organização dos serviços com bases geográficas e administrativas, maior controle social via conselhos e mando único municipal. Os avanços conquistados se ampliam na busca da integralidade da atenção. No nível secundário, a organização dos serviços restrita aos limites de cada sistema local pode vir acompanhada de aspectos indesejáveis como a fragmentação de serviços e perda de escala; a baixa disponibilidade de recursos humanos especializados, materiais e organizativos dos municípios aponta a necessidade da articulação inter-municipal para viabilizar a atenção secundária resolutiva, de qualidade e custo acessível. Neste sentido a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará adota a estratégia de organização dos municípios em Microrregiões de Saúde.

O objetivo deste trabalho é relatar nossa experiência na organização dos Centros Especializados de Odontologia/CEO’s como propulsora da construção de sistemas microrregionais na área da saúde bucal; uma rede de consultórios odontológicos isolados e com baixa eficiência foi reorganizada em unidades com maior capacidade resolutiva. As ações coletivas de promoção e prevenção são sistematizadas para grupos populacionais cadastrados e referenciados às unidades clínicas para a atenção individual conforme ciclos de vida e grupos de risco. Serão apresentados resultados da fase de racionalização de recursos , da implantação de ações coletivas, da ampliação da capacidade instalada e da capacitação de recursos humanos para a atenção integral. Esta experiência é repassada aos municípios na perspectiva de ampliação e inserção no processo de organização das microrregiões de saúde.

SP-101) RESULTADOS DA PRÁTICA DE UMA ODONTOLOGIA INTEGRAL

Elson Fontes Cormack

Esse trabalho apresenta os resultados obtidos após 5 anos de um Programa de Odontologia Integral desenvolvido no Pólo Odontológico, situado na Escola Municipal Dunschee de Abranches, através de convênio entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

Os resultados demonstram a redução da incidência da cárie dental entre os escolares, onde se alcançou um índice de 50% das crianças aos 11 anos com CPOD = 0, obtido através de um bem sucedido programa de promoção da saúde e prevenção, dentro de uma perspectiva de visão integral de saúde bucal.

SP-102) DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA - QUAL ATITUDE DIANTE DELAS?

Cléa Adas SALIBA, Daniela Mieko ABE, Suzely Adas Saliba MOIMAZ, Artênio José GARBIN, Eduardo DARUGE
UNESP – Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Odontologia Câmpus de Araçatuba

A AIDS trouxe mudanças profundas no comportamento dos cirurgiões-dentistas quanto à biossegurança estimulando a busca de informações em relação ao diagnóstico ou atendimento a esse paciente, entretanto; o mesmo não ocorreu com outras doenças que o profissional entra em contato facilmente no consultório e pode até colaborar para sua propagação. A proposta desse trabalho foi verificar se o cirurgião-dentista conhece as doenças de notificação compulsória e sabe qual atitude tomar diante delas. Cento e sessenta profissionais da região de Araçatuba-SP, responderam a um questionário sobre conhecimentos básicos dessas doenças, o manejamento dos pacientes, aspectos éticos e legais além de noções de biossegurança. Os resultados mostraram que, apesar de grande parte dos entrevistados (83.3%) afirmar que conhecem o assunto, a maioria não sabe apontar as doenças; 73,4% não têm comunicado às autoridades os casos que aparecem no consultório e não sabem como fazer tal comunicação. Apenas 41,4% indicou corretamente a vigilância epidemiológica como o órgão que deve ser comunicado. Concluiu-se que a maioria dos profissionais desconhecem aspectos básicos das doenças de notificação compulsória bem como, as normas legais que as envolvem.

SP-103) ETIOLOGIA MULTIFATORIAL DA CÁRIE DE MAMADEIRA E DIFERENTES ABORDAGENS DE TRATAMENTO

Juliana Bosco Castilho; Graziela Angeli Piva; Cecília Gatti Guirado
Faculdade de Odontologia de Piracicaba – UNICAMP

A cárie de mamadeira, também conhecida por uma variedade de sinônimos, é um tipo de destruição dental associado ao íntimo contato do líquido adocicado da mamadeira com os dentes decíduos, particularmente durante as horas de sono. Neste tipo de manifestação, observa-se quatro fatores primários predisponentes presentes: líquidos fermentáveis (dieta cariogênica) oferecidos várias vezes ao dia; ausência de higiene bucal adequada; presença de microorganismos cariogênicos em grande número; permanência por tempo prolongado de líquidos fermentáveis na boca da criança. Apesar dos diversos avanços na prevenção da cárie, em geral as de mamadeira continuam a afetar crianças em idade muito precoce (em alguns países chegando a prevalência de 2,5% a 15%). O tratamento para este tipo de lesão cariosa depende, dentre outros fatores, do grau de destruição dentária, da cooperação do paciente, pais e/ou responsáveis (quanto a mudança de dieta e higienização dentária). São várias as possibilidades de reabilitação para estes elementos, podendo-se citar: coroas de acetato, coroas de policarbonato, coroas de veneer, todas com ou sem pino intrarradicular, mantenedores de espaço removíveis, próteses fixa e adesiva. Neste trabalho enfocaremos três modalidades de reabilitação dentária do segmento anterior superior:1º caso utilizando coroas de acetato; 2º caso procedendo ao sepultamento radicular e instalação de mantenedor de espaço; 3º caso utilizando coroas de acetato, short-post em resina composta fotopolimerizável, sepultamento radicular e mantenedor de espaço; observando sempre a importância estético-funcional e psicológico destas reabilitações.

SP-104) SAÚDE BUCAL NA TERCEIRA IDADE

Arcieri, R.M. , Chiaratto, R. A ., Saliba, N. A .,Pagoto, F. O.
Universidade Estadual Paulista – UNESP

A pirâmide populacional brasileira tem sofrido alterações, devido ao declínio da taxa de mortalidade, resultando num aumento da população de maior idade: de 3,2% do total de brasileiros no início do século a previsão para o ano 2000 é de 8%. O papel da Odontologia em relação a essa faixa populacional é o de mantê-la em condições de saúde bucal que não comprometam a normalidade. O presente trabalho, realizado com idosos de 65 a 85 anos de idade transeuntes de um ponto central da cidade de Londrina - Paraná, através da aplicação de formulários, visou conhecer o comportamento do idoso frente a manutenção de sua saúde bucal, assim como buscou conhecer a percepção da população estudada em relação ao binômio saúde-doença. Dos entrevistados, 86% eram portadores de próteses, 6% não as utilizavam , sendo que 8% da população não respondeu a esta pergunta. No que diz respeito à higienização das próteses encontrou-se como o material mais utilizado a associação escova - creme dental (84,31%), seguido de escova e água (7,85%), escova e antisséptico (5,88%) e outros. Quando se questionou o motivo da última visita ao dentista, encontrou-se: trauma (1,84%), orientação sobre saúde (3,97%), dor (10,80%), manutenção (31,41%) e outros motivos (51,98%). A freqüência das visitas ao dentista apresentou os seguintes resultados: de 3 em 3 meses (1,96%), de 6 em 6 meses (13,73%), 1 vez por ano (21,57%), 1 vez a cada 2 anos (11,76%), 1 vez a cada 3 anos (13,73%) e quando necessário (35,29%). Considerando-se os resultados apresentados pode-se afirmar que a prevalência em relação ao uso de prótese é elevada na população estudada (86%), o que demonstra a necessidade de uma atenção odontológica direcionada a esta faixa etária. Destaca-se também a importância da capacitação do profissional odontológico para o atendimento dessa clientela, cabendo às instituições de ensino superior a implantação de uma disciplina preocupada com essa formação: a odontogeriatria.

SP-105) NORMATIZAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO PROFISSIONAL: UMA ESTRATÉGIA PARA O CONTROLE DA BIOSSEGURANÇA EM PORTO ALEGRE

Kátia T. Cesa
Prefeitura Municipal de Porto Alegre - RS.

O Controle de infecções nos consultórios odontológicos tem sido um dos grandes desafios para profissionais que atuam na área odontológica, pesquisadores e imunologistas . A partir de 1995, com a municipalização da Saúde o CVS assume o controle e fiscalização dos Serviços Odontológicos em Porto Alegre . A normatização em forma de Resolução Municipal, acompanhada de um Manual publicado por esta SMS, e distribuido gratuitamente a todos os CDs e equipe, foi a estratégia utilizada para atingir um maior número de serviços através da proposta de educação/ação .

SP-106) EXPERIENCIA DE LA FACULTAD DE ODONTOLOGÍA DE MONTEVIDEO - URUGUAY EN UN PROGRAMA DE DOCENCIA - SERVICIO - INVESTIGACIÓN EN SERVICIOS ODONTOLÓGICOS Y A NIVEL COMUNITARIO

Dr. Ruben Ringel
Facultad de Odontología - Universidad de la República - Montevideo – URUGUAY

INTRODUCCIÓN:

c) En nuestro país han adquirido un importante desarrollo los Programas de Salud bucal a nivel estatal y privado. Han surgido servicios de Salud bucal a nivel barrial, centros laborales, creados por la propia comunidad y se han desarrollado otros desde el Ministerio de Salud Pública, Intendencias, Empresas públicas y privadas.

d) La Facultad de Odontología procura dar respuesta a las necesidades que surgen desde la sociedad con un nuevo Plan de estudios que tiene como uno de sus ejes la estrategia de Docencia - Servicio en servicios de Salud bucal y a nivel comunitario.

OBJETIVOS:

Formar Odontólogos capaces de planificar y operar en sistemas de atención. Los servicios deberán asegurar una cobertura de salud universal, integral accesible y participativa. Deberán tener orientación preventiva y contenido humano para mejorar el nivel y calidad de vida de toda la población.

CARACTERÍSTICAS:

c) Pedagógicos : Aprendizaje en condiciones reales. Pasantía curricular y obligatoria no menor a 1 año. Participación de docentes y estudiantes de todas las Cátedras clínicas y de los cursos de, Laboratoristas, Asistentes e Higienistas.

d) Modelo Asistencial : Aplicación de la estrategia de Atención Primaria en Salud privilegiando acciones de 1 er y 2 do nivel de atención - Adecuación del plan asistencial a las condiciones socio - económicas de la comunidad - Modelo Innovado de Atención Odontológica en las Escuelas.

PARICIPACIÓN COMUNITARIA:

Constituye un eje central del Programa. En forma conjunta con las organizaciones de la comunidad se participa en los programas se Salud.

CONCLUSIONES:

Los cambios originados en la educación odontológica están comenzando a formar odontólogos con una visión más amplia de la práctica odontológica. Es un proceso en el que el desafío es profundizar el modelo pedagógico y asistencial atendiendo y profundizando la práctica en Servicios y comunitaria.

SP-107) ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO ÀS GESTANTES NO MUNICÍPIO DE LONDRINA

Domingos Alvanhan; Maria Eliza Sanomya
Dental Assistance for Pregnant Women at Londrina

RESUMO:

O objetivo principal do programa consiste na promoção da saúde bucal da gestante e do bebê, através de um processo educativo-preventivo e curativo.

Esse trabalho é realizado nas Unidades Básicas de Saúde do Município através de palestras educativas sobre higiene bucal, mecanismo da cárie dentária, controle da dieta, e o estímulo ao aleitamento materno dentro de uma equipe de saúde multiprofissional. Ao mesmo tempo, o tratamento curativo é realizado para adequação do meio bucal e resolução dos problemas presentes como a cárie dentária e a doença periodontal.

Portanto, as gestantes fazem parte de uma população que necessita ser priorizada em relação ao atendimento odontológico, não só devido ao alto índice de cárie dentária e doença periodontal, como também o alto potencial de aprendizado pertinente à esta fase, inserindo hábitos de comportamento positivo em relação à saúde bucal; visando dessa forma, um padrão de conduta que provavelmente será adotado pelos seus filhos.

| Apresentação | Histórico | Administração | Escola | Biblioteca |
| Comunidade | Informativo | Calendário | Links | Associados |

  FSO Design & Art
  webmaster@aonp.org.br